ela

ela

ela

Ela ainda agora chegou e já é sempre. Omnipresente. Reconhecia-lhe o cheiro entre mil, entre um milhão de bebés. Pego-lhe, conto-lhe os refeguinhos de pele e cada um é feito de mim, do meu corpo, de amor.

Atenta, dobra o riso, faz-nos serenatas com rrruu e gueee de leite condensado. Serve-me num braço só, a minha pequenina pequenina.

36 comments » Write a comment

Leave a Reply

Required fields are marked *.


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.