chapéu

Não é que a E. tenha menos tiradas dignas de memória, nem que a A. não me surpreenda diariamente com as suas habilidades, mas tenho escrito menos sobre elas. A explicação mais óbvia é a de que, por passar boa parte do tempo a tentar evitar que a A. se magoe durante os desportos radicais que passa o dia a praticar (sobretudo escalada e queda livre) e a resolver as crises existenciais da E. (porque é que eu não posso ser adulta já?), não sobra que chegue. Quando adormecem, saio finalmente um bocadinho da sanduíche de mãe que sou o dia todo, amarrotada e com sopa no cabelo, cheia de intenções de ler e de fazer e de pensar, e preciso é de ir ali para o meu cantinho do sofá fazer coisa nenhuma. Ou então de ir vê-las dormir, tão lindas.

16 comments » Write a comment

  1. Ai como eu te entendo! Se com um eu sinto exactamente o mesmo, imagino com dois! Faz falta estarmos uns tempinhos sem eles. Mas quando estamos entregues a nós, ficamos logo cheios de saudades :)

  2. oh I love the image of you being a “mother sandwich”. What great bread. What a great filling. Sometimes you have to remember to look after yourself too. Beijo*

  3. A minha quando tem que comer a sopa que pensa que não gosta: “…quero ir para outro mundo…”

    Mas quando adormecem, já não posso mais. A minha da filha da Primavera, que tb já se move por todo o lado, ainda acorda várias vezes por noite … Não consigo mais do que o que faço.

    E depois …

    “Que lindas as meninas

    já estão a fazer óó …” Sim, são lindas! E adormeço tb.

  4. Uma das minhas melhores descobertas como mãe, é que continuo a ser pessoa. E como pessoa preciso de tempo para mim, para as minhas coisas. E só tendo esse tempo é que consigo verdadeiramente ser mãe! Gosto sempre de ler quando falas delas!

    Bjs Joana

Comentar