taleigo

taleigo

Em minha casa nunca se chamaram taleigos (palavra que suponho não se usar no norte e que aprendi aqui muito recentemente). Foram sempre só sacos do pão e de muitas outras coisas. Só tinha feito um antes, que continua a uso na mesma função, mas tenho outros que adoro, heranças de família, achados ou bem comprados, cada um com os seus imprescindíveis pompons e borlas, forros de pacotes de farinha aproveitados e minúcias que ainda não sei reproduzir.

Fiz um novo, com uma destas combinações de tecidos da Retrosaria, mesmo para o pão (há não tanto tempo quanto isso toda a gente levava um saco quando ia à padaria).

Mais taleigos e quejandos no Flickr, no blog da Alix, em Glória do Ribatejo e com um bebé dentro.


taleigo

taleigo

21 comments » Write a comment

  1. a minha mãe tem imensos… assim com esse travo de antigamente ;)

    eu já herdei alguns.

    também não conhecia a palavra taleigo =)

    acho que devias fazer muitos mais ;) acho que os teus leitores iriam aderir de novo a levá-los às padarias!

  2. Pois, e era uma óptima ideia esta de cada um levar o seu taleigo quando ia ao pão, só que agora também já se vai ao pão às mais desvairadas horas e não se anda com um na mala… Pena, senão juro que voltava ao hábito.

  3. Ainda me lembro de colocar o taleigo na porta para o padeiro deixar o pão logo de manhãzinha.

    Mas estes eram feitos com retalhos de roupas que já não usavamos, ajudei a cortar muitos tecidos, os tapetes, as mantas e os sacos da minha casa eram todos feitos com restos de roupa velha, tempos muito dificeis..

    Parabens Rosa pelo trabalho que tens divulgado…mas ao ver isto faz-me lembrar os tempos dificeis que passei..

    Talvez se tu fizeres uma maior divulgação as pessoas começem a aderir aos sacos de pano, e a olhar o mundo com outros olhos…

    È preciso reciclar cada vez mais..

  4. Tenho um amigo que se chama Taleigo de apelido, Saco-do-pão, quando o queria ver de cabelos em pé. Beijos BD

  5. Rosa, gostei muito deste post.

    Sempre gostei desde pequenita destes “sacos”, sempre “fui ao pão” com eles, e quando vou a uma padaria levo sempre um.

    Para o lanche também!

    E para guardar o pão do dia o mesmo!

    Achei uma ternura o bébé dentro do taleigo!

    E está muito bonito este taleigo que fizeste, mas confesso que gosto mais do que fizeste para a E., ainda me lembro do dia que o publicaste e que me encantei com ele.

    Sandra

  6. Sim, eu só tenho um que comprei na Sósaias… mas bem me lembro que toda a gente levava um ao pão e de repente na padaria lá da aldeia alguem teve a infeliz ideia de introduzir os malditos sacos de plástico:(

    O teu está lindo…

    Devias fazer um concurso de taleigos… era bem;)

  7. Desconhecia que se dava o nome de “taleigo” ao saco de pão. É pena hoje em dia já haver muito poucas pessoas a ir à padaria com o dito saco. É pena, também, o pão já não ser o que era …

  8. em minha casa sempre houve o saco do pão e a minha irmã e eu sempre tivemos os nossos saquinhos de levar o pão da “meia manha” para a escola :) tenho saudades disso… agora meto as minhas fatias num de plástico… bah!

  9. Está muito bonito. Aqui em casa tenho 2 sacos que eram da minha mãe e que ainda uso para deixar na porta de noite para de manhã ter pãozinho fresco deixado por uma daquelas padeiras à antiga. Adoro.

    um beijinho,

    Inês

  10. O saco está muito bonito. Não, acho que o termo taleigo não existe no Norte. Em casa dos meus pais os que havia eram muitas vezes feitos de um só pano. E ainda hoje são usados, só que agora para guardar feijão e grão.

    Obrigada por tão freqeuntemente me fazeres pensar de novo em tantas coisas que já tinha esquecido!

  11. Gosto da combinação de tecidos que fizeste.

    E a sugestão da Zélia parece-me muito bem, um concurso de taleigos (eu continuo a chamar aos meus “sacos do pão”)! Era bem giro.

  12. Não conhecia o nome… mas lembro-me quando era pequena ganhei da minha mãe um conjunto de mini avental de cozinha e saquinho de pão! Adorava-os!

    E ainda tenho o hábito de guardar o pão fresco no saco de pano (ops, no taleigo!) rsrs

    Bjs

  13. também já fiz alguns!

    Cá na minha zona (Marvão – Alto Alentejo) sempre foram conhecidos por taleigos/taleiguinhos. Ainda muita gente os usa para ir à padaria.

    Também são usados para ir pedir os Santinhos no dia 1 de Novembro. Este ano a minha Zabelinha foi pela primeira vez (só à família) e a avó paterna fez-me um mini taleiguinho muito lindo.

  14. Em primeiro lugar queria dar-te os parabéns pelo excelente espaço que aqui tens. Tenho devorado em excesso o teu blog. Descobri ainda que aquela jovem reservada, que frequentava quase as mesmas aulas que eu na faculdadde, é uma artista cheia de poesia. Obrigada pelo dom das tuas criações, e ainda por divulgares artes, saberes e objectos que infelizmente cairam no esquecimento.

    Quanto aos taleigos, quero também deixar aqui um pequeno contributo. O meu pai é do Baixo Alentejo, ficando a sua aldeia no concelho de Moura. Sempre conheci os sacos de pano pelo nome de talegos. A minha avó fazia imensos . Havia o talego do dinheiro( pequenino e discreto, ainda o uso para o mesmo fim), o talego do pão, do feijão ,do grão…a minha avó até fazia talegos maiores para guardar nas arcas e comódas a roupa mais delicada ou a mais antiga.

    Já no Alto Minho, zona onde a minha mãe nasceu, se chama aos talegos “saquinhas”. A minha avó materna fez-me um tinha eu uns sete anos para levar o lanche para a escola. Guardo-o com muito amor; é todo branquinho em crochet e forrado com pano de algodão por dentro.O seu motivo de crochet é único, pois a minha avó criava os seus próprios desenhos. Como ficava vaidosa daquele talego tão exclusivo que a minha avó havia feito só para mim.

  15. Ah pois é, ao ler o comentário da manuela também me lembrei que também tenho um taleigo de crochet. Também conheço os taleigos para os cereais, mas esses eram feitos com menos cuidado, muitos apenas de um tecido (os que me lembro)

    Beijinhos

  16. Pois bem, bem no norte: Braga, também se usa a palavra taleigo, ou pelo menos usava-se quando era mais nova. E podia designar muitas coisas, desde embrulho, trouxa de roupa, saco para meter outras coisas dentro…

  17. Na Bairrada usavam-se os taleigos para os agricultores encherem com milho para entregar ao moleiro que semanalmente passava para os recolher. Depois, na semana seguinte o moleiro devolvia o taleigo já com a farinha correspondente à moagem desse milho. Tinham apenas a cor branca ou bege (por relação com a cor da farinha).

  18. Pingback: Crafts on the screen: How to make an american quilt – The Rabbit Hole

Leave a Reply

Required fields are marked *.