pregar aos peixes

meu dito...

Há menos de dois meses esta entrada era assim. Hoje de manhã, depois de ver escavacada do chão ao tecto a loja do sapateiro aqui do lado, e com ela um dos últimos chãos de mosaico hidráulico da rua (há um ano foi este embora), resolvi dar um passeio alargado para juntar mais alguns à minha colecção. Um quarteirão abaixo, uma senhora simpática resolveu não deixar morrer o negócio de venda de guarda-chuvas fundado pelo pai nos anos cinquenta. A loja é pequena e bonita, e o chão tem mosaico marmoreado como este mas em rosa, a pedir escova, sabão e cera: Ai não tire fotografias ao chão que está tão feio! Isto vai tudo para obras. E eu o blá blá blá do costume, que aquele é que é o chão certo para aquela loja, que está ali desde sempre e nada que se ponha agora vai durar o mesmo tempo. Diz-me que quer é pôr calçada portuguesa no chão, que é o que é tradicional e eu já a contorcer-me. Pois é tradicional e está ali mesmo à porta, no passeio, onde deve estar. Não é aqui dentro! Depois tentei explicar que só por cá é que o mosaico hidráulico ainda não está na moda outra vez, que lá fora se editam livros sobre o assunto, que no Chiado as lojas espanholas o trazem de propósito para alindar o chão. E só tive pena de não ter a última Milk para lhe mostrar o que os franceses também já perceberam.


milk

milk

Os carreaux de ciment colorés dans la masse são cenário de um anúncio da marca Moulin Roti e, mais à frente, destacados no texto e imagens da rubrica Vie de Famille, que exibe a lindíssima casa de um casal de criativos franceses em Barcelona (l’ensemble des sols de l’appartement est fait de carreaux en ciment datant du début du XXe siècle. Chaque pièce possède son dessin, digne d’un tapis.).

Hello?!

10 comments » Write a comment

  1. Ai!!! Conheço exactamente a sensação. Foi o que fizeram no meu prédio. Quando vim ver a casa pela primeira adorei o chão em mosaico hidráulico e até pensei que ainda bem que não tinham estragado o chão, passados um mês, só havia mosaico a imitar granito!! Como é que é possível?! Tive vontade de morder o empreiteiro…

  2. Não, não está a pregar aos peixes. Posso dizer-lhe que herdei uma casa de pedra, e portanto antiga, numa quintinha no Douro (que gostaria de recuperar) em que a cozinha e casa de banho têm mosaico hidráulico. A casa está a precisar de obras (grandes)mas eu já estou decidida a conservar o chão da cozinha, na totalidade, e vamos ver o que se pode fazer com o da casa-de-banho. Posso ainda dizer-lhe que a Rosa teve responsabilidade total nesta minha decisão.

  3. e isto e o que aparece no google se escreveres “azulejos portugueses”.

    http://images.google.com/images?ndsp=18&um=1&hl=en&rls=com.microsoft:pt:IE-SearchBox&rlz=1I7ADBR&q=portugese+tegels&start=0&sa=N

    sao muito populares por aqui. um holandes pediu ajuda via meu sogro, porque comprou uma fabrica de azulejo hidraulico algarvia e exportou-a inteirinha para a indonesia, os antigos donos, portugueses, vao la passar umas semanas a dar “workshops” et voila: azulejos portugueses made in indonesia. so em portugal e que ainda nao se acordou… uma pena!

  4. Não há dúvida que o mosaico hidráulico está na moda. Aqui em Barcelona (a cidade do mosaico hidráulico) tornou-se uma imagem de marca da cidade, tanto que se editam livros, imprimem-se imagens em t-shirts, lápis, calendários, etc, para vender em lojas de gifts turisticos. No entanto o público alvo são os turistas o que significa que os cidadãos baceloneses estão provavelmente tão desinformados como os portugueses.

    A minha casa aqui em Bcn, tem chão hidráulico, e o meu senhorio queria obvimante arrancar e pôr o dito «parquet», tão moderno!! Depois de muitas «discussões», ganhei e não se fez a dita alteração. Felizmente.

    Também os comerciantes desrtroem constantemente por completo interiores lindissimos(não só chãos) dos estabelecimentos, e apenas uma minoria os conserva sendo essa minoria quase sempre proprietários de algum comércio mais elitista relacionado com moda, design e afins.

    E realmente as grandes lojas preferem arrancar o chão e mobiliário original das lojas do centro da cidade e colocar o chão artificial ainda que seja a imitar o mosaico hidráulico que destruiram.

    Isto tudo para dizer que infelizmente é tudo uma questão de modas e interesses, e que infelizmente de amor esta éstória tem pouco…quando a acabar a moda como vai ser? ou se a moda pega também entramos na estupidez de querer imitar o mosaico a torto e a direito?

  5. Muito mais que pregar aos peixes é o seu execelente contributo, com os seus belos textos e fotos, em prol do nosso património chamando-nos a atenção, neste caso, para a destruição deste tipo de pavimentos.

    Porquê que renovar, para muitos, tem que necessariamente passar por arrasar tudo e colocar materias e mobiliários ditos “modernos” iguais ao do vizinho ou do que se encontrou na primeira revista no quiosque?

    Continue, sensiblizar é preciso!

    Teresa Pinro

  6. Continua a pregar! Se existisse o título de Embaixadora do Mosaico Hidráulico era teu com certeza :)

    Custa, mas se “espalharmos a palavra” do artesanato, da arte, da arquitectura, do design, conseguimos fazer perceber tradição & modernidade, devagarinho, aos compatriotas. Acho que só o facto de alertar as pessoas para uma preocupação deste tipo é um acto de pedagogia social. E essencial. As tuas fotos, sempre fantásticas!

Leave a Reply

Required fields are marked *.