konec

pojd'te pane

Vasco Granja tinha razão: pode ser-se culto visualmente. Uma cultura visual rica pode conduzir a um gosto pelas coisas bem feitas e bem desenhadas, imaginativas e belas. Uma cultura visual rica pode dar-nos um mundo melhor, e isso pode começar a um sábado de manhã, com uma selecção de obras de arte muito diferentes umas das outras.

Faço minhas estas palavras do Rui Tavares, na Crónica sem dor do Público de hoje.

E agora vejam um excerto de Potkali se u Kolina, realizado nos anos 60 por Bretislav Pojar e Miroslav Stepanek, da magnífica série Pojd’te Pane (um êxito cá em casa):


9 comments » Write a comment

  1. stop motion da melhor qualidade!

    tendo em vista o gosto da e. pelos espetáculos, daqui a pouco ela fará um filminho desses com seus bonecos, rosa!

  2. Foi mesmo Konec. O fim dum homem que realmente participou activamente na educação visual de 2 (?) gerações.

    As reportagens sobre ele nas televisões (RTP e SIC) foram muito pobres.

  3. Concordo com a Eva, a reportagem que vi no noticiário foi muito fraca e nada interessante.

    Este senhor marcou a juventude das gerações de finais de 70′s até às de finais de 80′s e deu-nos a conhecer fantásticas obras que infelizmente hoje não passam na televisão.

    Lembro-me de ter comprado uma cassete vhs para a minha irmã (12 anos mais nova que eu) de um filme do Konec (penso que era dele) “As aventuras do Cavaleiro azul”… Era uma história sem palavras que ela via (com 3 e 4 e 5 anos) completamente hipnotizada.

    É uma perda para Portugal, mas não o esqueceremos. Espero que a rtp também não.

Comentar