(animal) de companhia

aula

aula

Volto a escrever sobre a gata, antes de mais para agradecer todos os comentários ao post anterior. A Twitter tem sido alimentada a ração seca, o que não significa que eu ache ser essa a melhor opção. Pode haver veterinários e empresas a dizer o contrário, mas a comida de pacote (feita nem se sabe bem com que o quê) não é certamente a opção mais saudável (ou andaríamos a almoçar e jantar o equivalente para humanos). O corredor do supermercado dedicado aos animais de companhia só é comparável ao dos alimentos para bebés. O objectivo é o mesmo: convencer com embalagens óptimas, imagens idílicas e discursos para-científicos não quem vai consumir os produtos mas quem os compra. Explorar o dado adquirido de que todos queremos o melhor para o nosso bebé / gato / cão (riscar o que não interessa) e impingir com enorme sucesso que um alimento em pacote (seja Nan, Blédina ou Whiskas) é superior à comida natural. O facto de ao gato ser indiferente a variedade de feitios e cores dos croquetes e de o bebé poder passar do peito da mãe para a sopa feita em casa esquecem-se pelo caminho.

Posto isto (e pedindo desculpas pelas comparações entre filhos e animais de estimação que por norma detesto), porque é que em vez de lhe dar carne e peixe e ervas frescas tenho dado comida de pacote à Twitter? Por várias razões: a primeira é que a carne e o peixe não são alimentos correntes cá em casa, o que complica a ideia de os dar quotidianamente ao bichano. Depois, e após consultar vários sites sobre o tema, porque não é de facto fácil reproduzir em casa aquela que seria a alimentação natural de um gato. A seguir entram as razões de ordem eminentemente prática: a ração seca não se estraga ao fim de umas horas e é mais limpa (e, felizmente, a Twitter bebe água regularmente).

A esterilização também não está em causa (vai ser feita assim que possível), o que a meu ver e somado à comida de pacote faz da nossa querida gata de interior a quem não faltam mimos, brincadeira e cuidados, menos um bicho e mais uma coisa indefinida, moldada à nossa comodidade. E é isso que não me deixa de consciência completamente tranquila.

PS: o livro nas imagens é a tradução portuguesa deste e a cama da Twitter é o modelo normal português em verga que se vende aqui perto numa lojinha à qual tenho de dedicar em breve um post.

31 comments » Write a comment

  1. hello!

    eu tb tenho uma gatuxa! a chloe.

    no príncipio tb me deparei com todas essas questões da alimentação. se por um lado a comida de lata ou de pacote n me parecia o mais indicado, por outro a veterinária explicou me que a nossa comida nem sempre tem tempêros que são muito adequados à bichana e ninguém tem tempo para fazer comida especial para ela para todos os dias por mt que gostassemos. eu tentei dar-lhe vários tipos de comida e com o tempo fui-me apercebendo de quais são as suas preferidas. pensei que a comida de lata fosse mais apetitosa mas pelo contrári ela prefere a seca que tal como referiu é a mais práica para estas temperaturas. depois tb há as diferentes marcas que ela mostra preferência :)

    espero ter ajudado. boa sorte com a twitter!

  2. Não podia concordar mais contigo. Eu tinha 1 gato até 6ª feira quando fui adoptada por outro na rua e não resisti… é lindo!

    Claro que comem de ração seca de pacote e o mais velho já foi castrado :((( coisa que eu não queria mas teve de ser… mas não lhe corto as unhas e uma vez o veterinário queria serrar-lhe os caninos e eu fiz uma cena… gato castrado, com unhas cortadas e dentes serrados? por favor…mas valia ter um canário ;)

    Beijinhos,

    Carlota

  3. por grande curiosidade, mas se vcs nao comem carne nem peixe todos os dias, o que vc cozinha pras meninas? é uma questao muito importante pra mim, porque eu queria dar menos carne pras minhas meninas mas tenho muito medo de nao dar certos nutrientes suficientes pra elas que estao em rápido crescimento. E nao falo de proteínas, que podemos encontrar em tantos outros alimentos, mas na B12, por exemplo, que é essencial ao desenvolvimento do cérebro e parece que super rara de se encontrar fora da carne vermelha que possui uma quantidade boa dela; depois acho que tem as algas, mas como minhas meninas nao gostam de sushi nem de alga pura (já experimentei!), como equilibrar isso? nao sei! o problema é que eu já nao comia muita carne antes delas nascerem, e confesso que estou farta de tanta! uma vez por dia comemos carne de alguma espécie, bastante peixe, carne vermelha, depois frango, em ordem decrescente de escolha por semana. Mas realmente gostaria de cortar isso, mas nao tenho nenhum conhecimento em como balancear bem a comida vegetariana, apesar delas comerem bem legumes e vegetais, também cereais, fico a imaginar a dificuldade de as alimentar só com isso. como é que é em tua casa? muito obrigada!

  4. Em relação à ração seca, escolhe a que tiver mais percentagem de carne ou peixe, porque as que tiverem com mais percentagem de cereais é mais “pobre” em nutrientes para o gato.

    Também me deparei com essa questão da castração em relação ao meu gato, mas creio que foi a melhor opção, tendo em conta as vezes que desaparecia por semanas de casa e voltava com um ar lastimável com que voltava e a preocupação se ele estaria bem, se tinha sido atropelado ou não, se lhe tinham feito algum mal.

  5. mesmo castrada, vai continuar gata, vais ver. agora, se fosse cão…

    já lhe fizeste uma almofadinha para a cama? ;-)

  6. Olá… A tua gatinha faz-me tanto lembrar a minha querida Gata…

    Olha, aqui vão algumas observações, pois já tenho gatos desde que me lembro e já pensei sobre essas coisas todas em que andas a pensar.

    Aqui vai:

    Em primeiro lugar, a esterilização.

    Esterilizar um gato / gata de interior não é um procedimento anti-natura, como se possa pensar. É preciso ter em conta que, antes de mais, ter um gato em casa é anti-natura. Então, se decidimos ter um gato em casa temos que partir desse dado e não da ideia de que o gato vive na rua. Uma gata em casa é mais feliz e é mais saudável se for esterilizada. As gatinhas começam a ter sios lá para os cinco / seis mesitos e a não saciação dos mesmos não lhes faz bem nenhum (ficam muito ansiosas e criam facilmente quistos nos ovários ou no útero, que mais tarde acabam por dar problemas). A esterilização não acaba totalmente com os sios, mas acalma-os substancialmente. Outra ideia que eu tinha e agora já não estou tão certa dela é que uma gatinha devesse ser mãe e só depois operada. Não sei se do ponto de vista da saúde do gato será melhor, mas do ponto de vista afectivo (da gatinha) já não tenho tanta certeza. Não sei. Projectamos facilmente os nossos afectos no animal…

    Segundamente, a alimentação:

    A ração faz mal aos gatos e há, como dizes bem, toda um marketing muito apelativo que nos faz crer exactamente no contrário. Actualmente há rações para tudo, é inacreditável: tens a ração para os dentes, para as bolas de pelo, para os gordos, para os in door, os in door special, os senior e depois rações especializadas para doenças, ta ta ta, ta ta ta. Não acaba aqui. O melhor alimento para os gatos é a carne (peixe também é bom mas não é o alimento por excelência do gato, ainda que contenha gorduras que eles também precisam). O ideal seria ele comer frango, carne de vaca (de vez em quando crua, pois depois de cozinhada perde a grande parte das qualidades nutritivas de que os gatos precisam) e peixe. Um gato alimentado assim será necessariamente mais saudável. Atenção que não é isto que diz a comunidade veterinária… ( mas não, por exemplo, esta veterinária, completamente avessa a rações: http://www.veterinariaholistica.net)

    No entanto, as minhas gatas viveram 17 e 18 anos e elas comeram, nos primeiros três / quatro anos, comida (carne, peixe, de vez em quado latas) mas, a partir de uma certa altura passei a dar-les ração ( Hill’s Pet Nutrition), por comodidade (razões: higiene, é mais fácil, não tem de se cozinhar, … , depois de serem esterilizadas, uma delas começou a engordar e comecei a dar-lhe light food etc). Mesmo quando lhes dava ração, de vez em quando ia dando carne crua (picada) e peixe (porque adoravam) Uma das minhas gatinhas morreu com uma insuficiência renal, que é uma das coisas que a comida de ração provoca e cada vez há mais gatos jovens com este problema; felizmente, a minha gata só o teve mais tarde e viveu dezoito anos saudável. As minhas gatas nunca tomaram um medicamento ( antibióticos, anti-ácidos, complexos vitamínicos sintetizados, etc etc,) coisas que só debilitam organismos, como sabemos. Agora tenho um gato novo, com 4 anos, que está completamente viciado em ração e estou a tentar – recomendação da veterinária ( que te indiquei em cima) – dar-lhe comida a sério. Ele gosta, claro, mas é exigente! É uma questão de hábito. O segredo ( para não deixar a comida no prato a secar (depois já não comem) é dar pouco de cada vez ( a ‘comida a sério’ é muito mais nutritiva, eles não precisam de muita carne de uma vez) duas ou três vezes por dia. Com a ração tendemos a deixar no prato para que comam quando querem.

    Beijinhos para a Twitter e para Ti e para as Miúdas!!!

    p.s O sling de rede é óptimo…

    m

  7. Durante anos a fio, enquanto ainda não estava “na moda” a ração seca para gatos, alimentei o meu primeiro gato com peixeinho cozido e sopas de pão + patés de carne para gato.

    Naturalmente que, fruto da idade, e também da alimentação que lhe era dada, o Garoto viria a falecer com uma grave insuficiência renal.

    Desculpe se a ofendi, mas a comparação que lhe deixei noutro comentário sobre a Twitter não era entre “filhos e animais de estimação”… mas sim entre “bebés e animais bebés”.

    Mas isso só compreende quem já tenha tido que tratar de uma ninhada de animais recém-nascidos.

    Qualquer animal que seja nunca é “uma coisa indefinida, moldada à nossa comodidade”… quando não apenas serviriam para decoração.

  8. oh rosa,

    eu que sou vegetariana convicta, tb fico assim em relação a possuir animais de estimação!

    no entanto já encontrei um meio termo, com o qual me sinto confortável: bichos de estimação, só mesmo o cão ou o gato. a minha filhota de 3 anos está já a interiorizar isto… não mto facilmente, claro :D

    isto é, animais que procuraram a nossa companhia há muitos mil anos atrás, sem serem propriamente coagidos a tal :)

    tenho um jardim, e a minha gata tem acesso à rua. mesmo assim passa a vida a dormir ao meu colo, ou pelos sofás de casa… tv nem sentisse assim mto a falta da rua caso morasse num apartamento…

    quando saio de casa para dar voltinha ao bairro com o cão, ou mesmo só com a minha filhota, a gata vem atrás tipo cão, aos miados!! eles querem mesmo é estar connosco, ou então tenho uma gata estranha :)

    o cão a mesma coisa… mesmo com o portão aberto, por uma distracção, opta sempre por ficar em casa, nunca fugiu de mim, acho que nunca tal lhe passou pela cabeça.

    claro que passeio longamente com ele, e é uma responsabilidade grande, que me ocupa muito tempo nesse aspecto. mas menos que isso não é compatível com a dignidade do animal, a meu ver.

    agora todos os outros animais, tipo pássaros, tartarugas, peixes, coelhos, hamsters e companhia, já para não falar nos exóticos,nunca.

    pessoalmente acho mesmo lamentável ver os bichos numa prisão, toda a vida, só por os querermos por perto. não consigo aceitar isso. mesmo.

    e estou a acabar veterinária!!! *suspiro* sempre me perguntaram o que estava lá a fazer..

    atenção que há aqui alguma desinformação relativamente a alguns assuntos de vet, mas suponho que cada um se aconselhe sites fiáveis, ou ainda melhor, com um vet.

    no entanto dois apontamentos- não me parece sensato dar carne crua aos animais, e não há cios em animais esterilizados… acontece é que se a operação for feita tarde, quando os comportamentos dos animais adultos já foram assumidos (urinar frequentemente pela casa, miar desalmadamente, etc, ou nos cães comportamentos agressivos em relação a outros machos, etc), é mais complicado haver uma alteração comportamental.

  9. Nao sei o que dizer sobre a castraçao porque os meus amigatos nao foram castrados, eram machos e nao corriam o risco de encher-me a casa de gatinhos de tanto em tanto.

    Com certeza, os moldei às minhas comodidades porque lhes dei comida idustrializada e os tive em ambientes delimitados mas nao acho que lhes tenha alterado negativamente a existencia, considerando que os recolhi da rua, em um centro urbano, recém-nascidos e famintos… onde, muitas vezes, o fim dos felinos é a morte por fome ou atropelamento.

    Aos meus amigatos, em cada prato cheio de alimento, em cada tigela de àgua limpa, em cada hora passada a escovar-lhes os pelos ou a brincar de ser-lhes preda, tentei dar-lhes a minha amizade sincera.

    No fim das contas, mesmo querendo um mundo melhor para os animais, nao creio que pudesse ter feito mais do que fiz à altura. Hoje, olho para as pequenas cicatrizes que deixaram-me nos tornozelos e, com saudade, penso que nao poder fazer o ideal para eles nao é motivo para os evitar.

  10. O que o cansaço faz… Estava, no último post a falar do cio, evidentemente, não do sio (nem sei se existe alguma coisa com este nome)… embora me soe bem, está errado. Peço desculpa a todos os que leram o post.

    m

  11. Rosa, colocar-se a questão da esterelização para o nosso animal – sobretudo para ti q aparentemente não tiveste animal de estimação num apartamento dentro da cidade – é normal & humano, pq temos q admitir q é 1 gesto radical & de 1 certa forma violento em relação à natureza. É triste sim ter que tomar essa decisão. Eu fico sempre triste qd esterelizo os meus gatos. Para os animais abandonados na rua é verdadeiramente importante q estes sejam esterelizados para acabar com tanto sofrimento. Eu vim – como se diz do campo! – tive gatos & gatos não castrados, mas q não viveram muitos anos – 2/3 anos – íam à procura de namorada e acabavam por nunca mais voltar, as gatas era triste tb pq tinham ninhadas de gatinhos 3x p ano e o q faziam os donos ? afogavam-los ou enterravam-los vivos sem qualquer estado de alma ! & isto era horrível mas 1 realidade q talvez ainda se pratique hoje ! o que farias com 1 ninhada de 8 gatinhos da twitter 3x p ano ? não é assim tão fácil encontrar donos para todos esses gatinhos. seria mágico & romântico para as tuas filhas,brincarem com eles, vê-los a correr pela casa, pois é lindo e cheio de ternura, mas chega a 1 altura em q a realidade se impõe e com esta este tipo de decisões.

    aí twitter como gostamos de ti !

  12. Se vocês não consomem diariamente carne e peixe e também não vais cozinhar todos os dias de propósito para a Twitter, porque não fazes uma porção de massa, legumes e carne cozida (por ex.) e congelas em pequenas doses? Assim tinhas sempre comida preparada e tiravas do congelador à noite para lhe dares no dia seguinte. Não é a melhor opcção, mas acho que é melhor que dar sempre ração. Em relação à esterilização deve ser mesmo a melhor decisão. Acho impossível um animal de estimação de interior não ser moldado à comodidade dos donos.

    Beijinhos e boa sorte com a bichinha!

    PS- Também não tolero comparações entre filhos e animais de estimação, só quem não tem filhos o pode fazer… Mas a Rosa só comparou a alimentação artificial, por isso está perdoada. :)

  13. Realmente, de vez em quando, as nossas convicções levam uns abanões :-)))

    Eu sempre defendi que em minha casa não entrava carne e achava que ia ter sempre esta opinião. Mas quando a minha filha nasceu mudei de posição. Não posso obviamente decidir por ela, apenas guiá-la, dar-lhe a minha opinião, e é isso que vou fazendo. A Rita tem 4 anos e, para meu desgosto, adora bife com batatas fritas! :-))) Em casa tento sempre dar-lhe mais legumes e peixe, mas também lhe faço carne (pouca, mas faço).

    Tenho 2 cadelas muito tontas que foram esterilizadas e comem ração. Às vezes têm um mimo. Quando faço comida a mais ou quando a Rita não come tudo. As minhas cadelas foram esterilizadas antes de serem adoptadas. Estavam na rua, eu e o marido travávamos uma batalha para elas e outro grupo grande de animais não serem enviados para o canil e a primeira coisa que fizémos foi pedir ajuda para esterilizar as cadelas do grupo. Para estas duas não conseguimos donos e ficámos nós com elas.

    A minha filha é a maior defensora das nossas cadelas. Se eu ralho com elas, ela ralha comigo.

    São duas grandes amigas que tenho.

    Boa sorte com o Twitter.

    PS – Já agora, como consegue dar legumes às crianças sem dramas?

  14. Um animal é moldado à nossa comodidade, assim como nós próprios nos moldamos ao animal que acolhemos. É normal e chama-se a isto adaptação. Acho que valeu ao meu 3º gato eu tê-lo encontrado na rua ainda bébé e tê-lo acolhido. Provavelmente morreria se o não trouxesse comigo.

    Já me culpei mais por ter 3 gatos num apartamento. Hoje em dia acho que mais vale vê-los felizes num apartamento (que sei que são), do que viverem na rua sem ninguém que os assista quando ficam doentes.

    Acho que em relação à comida deve-se investigar o máximo possível, até porque cada caso é diferente. Por exemplo, tenho um gato com Fiv e como come pouquinho, tento estimulá-lo com peixe cozido (que adora), latas de comida húmida e ração seca. O que eu quero é que ele coma.

    Os outros dois estão obesos, por isso comem uma ração de dieta. Cada caso é um caso…

  15. Tem na minha casa uma gata, Sofia,que já está com uns 12/13 anos e que sempre comeu ração de supermercado mais pássaros e ratos que ela “caçava” nas redondezas. Sofia foi castrada logo depois da primeira cria e conversando com um veterinário descobri que o fato da gata ser castrada e comer estas rações favorece-se assim a possibilidade de o animal vir a sofrer de algumas doenças renais e a Sofia já sofreu com isto! Observe sua gata e proporcione o melhor para ela, afinal os animais são nossos irmãos menores!

  16. Olá! Acompanho o seu blog há algum tempo, mas nunca tinha comentado! Ora aqui vai: também tenho uma gata, chata, chata que se farta porque só quer mimos e anda sempre a dar marradinhas a ver se lhe cai alguma festa na cabeça!!! Que come? Secos, latinhas (que adora e que vem seja de onde estiver mal ouve o som da lata a abrir!), xixa, peixinho, leitinho e água! Relva: a parte mais importante porque é como os gatos conseguem limpar as bolas de pêlo da barriguinha! Meio caminho para um gato saudável! Esterilização: a minha, nem nenhuma das outras que tive foi esterilizada. Eu acho que, se der para evitar, é de evitar, a não ser que seja macho, porque, como marca território, faz esguichadelas de xixi por toda a casa. NADA AGRADÁVEL!!! Como faço? Dou-lhe a pilula no dia em que ela se começa a esfregar em tudo mais do que é normal, o que por vezes é dificil de distinguir!!! Ou quando se põe com uns miaus estranhos…. 24 horas depois acabaram-se os males todos!! Megecat é o nome da pilula delas e não sei se faço bem, mas assim evito meter-lhe muitas hormonas para dentro. Até hoje não tive gravidezes indesejadas de adolescentes malucas!! E tenho gatos há quase 15 anos! O gato é um bichinho muito resistente, independente e que se adapta bem a tudo!! Por isso que tem sete vidas!! A minha já gastou duas…. é a vida!!! Jinhos e parabéns pelo seu trabalho! Fenomenal!! Márcia, Pamplona, Espanha

  17. Então que estamos todos informados acerca de gatos, passemos às crianças e legumes. Não somos fãs de carne, mas comemos pequenas porções de carne e peixe todos os dias. Até aos 3 anos os meus filhos alinharam em tudo quanto eram legumes, inclusivé couves. Depois começaram com uma paranoía com as coisas verdes. Leguminosas também não é fácil dar-lhes sem ser na sopa. Adoram sopa passada, chegando a comer dois pratos, bróculos, couve-flor, ervilhas e cenoura. De resto, arroz, massas e batatas.

    E as saladas cruas, e as favas e as feijoadas, as nabiças, grelos, etc que eu e o pai adoramos?

    Continuo feliz por comerem todas as sopas e dou-lhes uma comida diferente?

  18. Olá,

    Não vale a pena ficar de consciência pesada. De facto os gatos domésticos não são bichos… bichos selvagens, pelo menos. São domésticos, e para tal têm que fazer concessões, tal como nós fazemos se quisermos ser civilizados. É muito pior para um gato (ou gata) que vive num apartamento não ser esterilizado, do que ser. Já viu o que é ter o desejo de ir “namorar” para a rua, e não poder? Assim ao menos o desejo desaparece, e eles ficam sossegadinhos em casa. Não desaparecem durante semanas e regressam todos arranhados, mordidos, etc.

    Quando não se está na disposição de os esterilizar, é melhor não os ter. Ou então tê-los na rua, quem possa. Agora fechá-los em casa e dizer “daqui não sais, nem que trepes paredes”, isso é que não me parece bem. Por isso, consciência tranquila, está a fazer o que é melhor para um gato de apartamento.

    Bjks

  19. em relação às crianças e os legumes…

    o melhor é aconselharem-se nas consultas de rotina e afins, que eu só serei médica de bichos e não de pessoas :)

    no entanto, o que eu faço à minha filhota, é passar os legumes qs todos.

    quando não são passados, refila um pouco mas, à falta de escolhas, come-os na mesma. ou então não come, que ela sempre foi pisca.

    provavelmente é péssimo para os habituar ao sabor e às texturas, mas para já serve lidamente.

    saladas é para esquecer (acho q é temporário, provavelmente daqui a 10-15 anos come isso tudo hee hee), feijoada vai bem, nabiças e grelos… em esparregado! e por aí fora…

    eu também só qd me tornei vegetarina, no fim da adolescência, é que comecei a apreciar legumes…

    de resto penso que as leguminosas da sopa chegam bem.

    é que desde que comam ovos (por aqui mto raramente), a única vit. que não está presente nos vegetais (B12), é assim disponibilizada.

    claro que tem de haver uma alimentação balanceada, mas isso tanto faz serem vegetarianos, vegans, ou “normais”, sei lá.

    a minha come carne e peixe fora de casa, qd lhe dão (familiares). mas como nunca gostou… é preguiçosa a mastigar, é o que é.

    montes de vezes os jantares são mesmo só sopa… que passadinha vai sempre.

    olha, para quê complicar :D

    de resto, o que me safa de críticas alheias, bem assim como qd amamentava (até aos dois anos e tal, ui credo que qs ninguém entende!), é o facto de ela ser muito saudável, e sobretudo ser enorme…

    está uns quantos pontitos acima do percentil 95, portanto ninguém diz nada acerca das comidas estranhas, como pão integral caseiro e legumes da nossa horta :D

    eu por mim estou relaxada, é só qd se intrometem e criticam é que me recordo que nem em todas as casas a base de alimentação são cereias integrais, bastante fruta (é o peq. almoço e o lanche), frutos secos (desde um ano que gosta!), sopas e legumes, e por aí.

  20. ótimas considerações, Rosa.

    Também fiquei na mesma dúvida quanto a esterilizar a Miu e a dar ração e terminei com a mesma sensação de que ela é “menos um bicho e mais uma coisa indefinida, moldada à nossa comodidade”. Tem horas em que eu invejo quem faz as coisas sem refletir muito antes, porque acabamos tomando as mesmas decisões que todo mundo toma, mas nos angustiamos muito mais por isso…

    (a miu come ração também, mas ando com vontade de pelo menos substituir algumas refeiçoes por comida de casa. E foi esterilizada porque tem gatos DEMAIS aqui nessa cidade, porque ela já estava sendo assediada por um macho e eu temia não conseguir arrumar donos pra possíveis filhotinhos, e se resolver ter outro gato, prefiro pegar outro da rua, com tanto gato por aí). Enfim, minha querida gatinha é meio uma coisa moldada à minha comodidade…

    afagos na twitter.

  21. Acho que posso deixar a minha experiência com os animais. Tive um gato, e por indicação da veterinária, dáva-lhe massa cozida ou arroz, juntamente com carne cozida (de cavalo) ou peixe cozido, sem temperos. Foi o que aconselhou para prolongar a vida dele, pois desde o inicio o gato largava mais pêlo do que o normal e seria para evitar ficar doente. Ele gostava e lá está, como não conhecia outras coisas, contentava-se bem com o que eu lhe dava. Também não como muita carne (só aves) mas em relação ao gato, que no seu estado natural comem o que caçam, incluído ratos, nem pensei se deveria dar carne ou não. Depois do gato veio uma tartaruga, que tenho há muitos anos e as tartarugas são carnívoras, mas nunca lhe dei carne, ela apenas come «gamarus», outras misturas vegetais e fruta, está enorme e saudável, até agora nunca lhe fez falta o resto.

  22. os gatos domésticos estão muito longe do seu habitat natural, por isso retirar-lhes tudo e pretender manter as suas condições alimentares naturais (e como?) parece-me um nonsense, objectivos comerciais a parte creio que as rações satisfazem a todos os níveis (mesmo ao nível económico, ficaria muito mais caro comprar carne e peixe). A principal vantagem da ração seca (em relação à húmida) é o atrito que provoca, protegendo os dentes do animal.

  23. Rosa, tenho uma gata igual à sua, vivo com animais, dos animais e prós animais…sim, sou veterinária. Marketing de rações? Sim, mas elas funcionam, são boas e estudadas para os nossos animais e suas necessidades. Aconselhamento só com veterinários, cuidado com as páginas da net e amigos do amigo. Boa sorte com as meninas, beijinhos de uma fã.

  24. A industria da petfood melhorou substancialmente nos ultimos 10-20 anos, tanto que, muitos tratamentos de caes e gatos doentes passam simplesmente por uma animentaçao especial (cara como tudo, é certo, mas que evita o drama que é a administraçao continua de medicamentos em doenças crónicas). Pode nao ser a mais saudavel mas é, sem dúvida, a mas completa: porque, embora o gato seja carnivoro ele nao come só carne e só peixe (muita proteina mas pouco do resto), se o fizesse desenvolveria graves deficiencias nutricionais, como acontecia no passado (hoje em dia as carencias nutricionais dos animais de estimaçao sao muito mais raras devido à petfood,e eram muito frequentes quando existia o estigma de alimentar os gatos so com peixe!!basta procurar no google deficiencia em tiamina nos gatos e encontra-se um dos muitos exemplos).Falo mais especificamente nos gatos mas nos caes o erro ainda se torna mais crasso, porque estes nao sao “verdadeiros carnivoros” isto é, na natureza os seus antepassados quando caçavam e comiam uma carcaça nao comiam so o musculo(a carne propriamente dita), mas tambem gordura, ossos, visceras entre outros, que lhe complementavam a alimentaçao. Eu JURO que nao trabalho para uma marca petfood!! :p Sou só uma estudante de veterinártia com gosto no assunto =)

  25. Ps: Quanto à pilula das gatas (a Megecat) tem sido implicada como causa de tumores mamarios malignos nas gatas que sao muito muito agressivos. Eu sou pró esterelizaçao se nao se quiser um dia utilizar os animais para recria, primeiro estudos provam que se for feita antes do primeiro cio (ou pelo menos precocemente na vida do animal) elimina virtualmente a existencia de futuros tumores mamarios que, como ja disse sao muito agressivos e de mau prognostico,além disso um animal em cio que nao se possa cobrir está em sofrimento, pelo menos na minha opiniao, e as gatas têm frequentemente cios de 15 em 15 dias.

    Bem, de novo, fica apenas a opiniao de uma estudante interessada ;)

  26. por maravilhoso que fosse podermos manter os nossos animais nas suas condições naturais e selvagens ( e eu sou toda pró-natureza) temos que nos mentalizar que o seu “habitat” já não existe, ou melhor, foi modificado por nós. o seu lar são as nossas casas, os nossos telhados e, maior parte das vezes, a comida que nós lhes damos. não veja a vida da sua gata como uma perda de naturalidade felina mas sim como uma evolução dos tempos. infelizmente é necessário esterilizar os nossos animais, embora os gatinhos sejam uma maravilha (admito) que tipo de vida poderão ter eles num mundo sobrepopulado? eu também tenho 3 gatos, todos esterilizados/castrados e são os gatos mais saudáveis e com melhor aspecto que eu conheço.

    e, talvez sirva como alivio de consciência, os animais não sentem a mínima falta (ou o mínimo de prazer) em acasalar.

    boa sorte com a gata, as tartarugas sempre foram as minhas favoritas :)

  27. olá eu sou a maria e tenho 11 anos…

    eu tambem tenho uma gatinha que, acritem ou não, ela já tem 60 anos na idade dos gatos e 10 na nossa idade.

    ela quando era mais nova andava sempre aos pulos…penso que seja porque já está a ficar muito velhinha mas ela agora tem andado a ganhar muitas infecções urinárias e a minha mãe compra-lhe um medicamento para por na água mas ela não bebe e temos que ser nós a darr-lhe aos bocadinhos com uma seringa de brincar para tomar remédios que eu tenho…mas porqu~e que ela ganha assim tantas vezes uma infecção urinária???

    estou a ficar muito preocupada com ela…tenho medo que o dia em que ela vai morrer esteja a chegar.digaam-me porqu~e que isto acomtece, por favor

  28. Não sei se entretanto já resolveste a questão, mas existe ração (seca e húmida) vegetariana não testada em animais (eram as minha prioridades). Tenho 2 gatitas (esterelizadas). Os gatos precisam de alguns nutrientes específicos como por exemplo a taurina – correm o risco de perder a visão. Mas também tento dar-lhes comida feita por mim. Somos 4 cá em casa: 2 humanos e 2 gatas – cozinho para 3 (elas não comem mto). Com o tempo vou topando o que elas gostam de comer. Arroz simples misturado com ração húmida ainda é o que preferem. Eu deixo sempre alguma ração seca (vegetariana, não testada em animais) no comedouro e de vez em quando faço esses “petiscos”. Cogumelos, cebola e chocolate é que nunca. Faz-lhes mal. :)

    beijo beijo*
    mordidinhas na orelha da Twiter
    Teresa

  29. Boa noite =)
    Não pude deixar de comentar este post (e respectivos comentários).
    Apesar de me identificar com o dilema, cheguei precisamente às mesmas conclusões: ração seca e esterilização sim, tudo o resto (cortar unhas, dar banho, tosquiar, etc) não.
    Acima de tudo acho que é preciso ter-se bom senso e não nos deixarmos levar pelos interesses que possam haver por trás das recomendações.
    A verdade é que veterinários recomendam ração seca, não por ser a melhor alimentação que exista, mas por ser a melhor dentro daquilo que é “fazível”. Qualquer veterinário vos pode dar uma receita caseira alternativa às rações, mas continua a não ser totalmente natural (nunca é crua por causa das parasitoses) e tem a desvantagem de ser húmida e “mole” (que propicia a formação de tártaro nos dentes).
    Em suma, a partir do momento em que levamos um animal para casa, a vida dele deixa de ser “natural”, e o melhor que podemos fazer é uma aproximação ao natural.
    Quanto à esterilização… não sei até que ponto não será uma ajuda à qualidade de vida da gata (em oposição a ser uma ajuda à nossa própria qualidade de vida). Ter cios é demasiado desgastante para ser infrutífero.

Comentar