dos bodes

dos bodes

dos bodes

Há vários meses, ao ler sobre a Serra de Montemuro, aprendi que os bodes vindos na transumância da Serra da Estrela traziam nessa ocasião os chifres enfeitados com fitas e pompons. Os que acompanhámos não levavam os enfeites, mas pelo menos um tinha os chifres cheios dos furinhos necessários para os segurar, e disse-me o João que na casa do seu pai ainda estariam uns, feitos no tempo da sua avó ou antes disso. Lá os fomos ver, claro.
Em conversa com uma senhora da Serra de Montemuro, uns dias depois, fiquei a saber que era hábito irem os das aldeias dessa região esperar a Castro Daire pelos rebanhos da Serra da Estrela, e receber os pastores com pão e vinho. A chegada dos animais, com estes enfeites e com os grandes chocalhos, devia ser um momento impressionante.

bode
in Aristides de Amorim Girão, Montemuro – A Mais Desconhecida Serra de Portugal. Coimbra, 1940 (desenho de Amílcar Patrício).

bode enfeitado

A única fotografia que encontrei dos bodes assim enfeitados (haverá mais e melhores, certamente) veio deste site e terá sido feita há mais de dez anos, aquando da realização deste congresso.

12 comments » Write a comment

  1. Pingback: A Ervilha Cor de Rosa » pêras e cabeçadas:

  2. Pingback: pêras e cabeçadas | A Ervilha Cor de Rosa

  3. Pingback: pêras e cabeçadas: lavores masculinos | A Ervilha Cor de Rosa

  4. Pingback: amor de pastor | A Ervilha Cor de Rosa

Leave a Reply

Required fields are marked *.


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.