fia 2012

manta

manta

Estas duas mantas alentejanas não estavam à venda na FIA deste ano. Eram decoração num stand de promoção a alguma coisa de comer ou beber do Alentejo. Nem estava lá a Mizette Nielsen com as de Monsaraz, nem a Cooperativa Oficina de Tecelagem de Mértola. A representação da tecelagem alentejana este ano ficou a cargo do Carlos Rosa e das suas três belíssimas mantas de lã fiada à mão. Há cada vez menos artesãos rurais na FIA, e fazem falta. Também os pavilhões internacionais ficaram reduzidos a um, sem grandes surpresas relativamente à edição anterior. O meu stand preferido, de onde no ano passado tinha trazido umas lindas tulmas, é o do projecto argentino Marias Mosca.

4 comments » Write a comment

  1. Este ano andei um bocadinho mais pelo pavilhão português e não me arrependi. Comprei um casaco de burel numa tecelagem da Covilhã, e fiquei maravilhada a ver uma senhora dos Açores fazer alfenim…

  2. Tal como a Patuxxa, este ano dei mais atenção ao pavilhão português e fiquei agradavelmente surpreendida e com vontade de aprender uma série de coisas novas (ou não tão novas assim…)

  3. Ficaria curiosa de ver os trabalhos das mantas de lã de Carlos Rosa. Não arriscaste umas fotos? Porque o ano passado, aquando do Festival Islâmico de Mértola, só exibiu umas mantas de retalhos para além das meias tricotadas com 5 agulhas e as canas rachadas que fizeram a alegria dos mais pequenos!

  4. Pingback: fia 2013 – a vez dos cestos | A Ervilha Cor de Rosa

Comentar