2014

driving test

Com vinte anos de atraso, tirei a carta de condução em 2014. Saí de uma espécie de clube secreto de nerds do qual fazem parte algumas das pessoas mais activas e interessantes que conheço, pessoas que vão na mesma e fazem na mesma (a pé, de transportes e com os amigos ao volante). Quem se fez gente a andar a pé vive o espaço público de outra maneira, conhece as pedras do passeio de cada rua em vez de saber o sentido do trânsito que lá passa, faz malha, lê e olha pela janela dos comboios e autocarros (e à espera deles) e tem filhos que sabem de cor a rede do metro e o número de tampas até casa da avó, que enjoam de carro mas atravessam a cidade a pé sem se cansarem. Não é melhor nem pior, mas é sem dúvida muito diferente.

Pela frente está um novo mundo…

Merioneth Show in Corwen
a car that would fit her pet sheep

Imagens:
Charles H. Hewitt, Woman During Advanced Driving Test. 1956.
Geoff Charles, Sioe Meirionnydd yng Nghorwen, 1950.
My friend works at a Subaru dealership and a lady came in looking for a car that would fit her pet sheep. 2014.

4 comments » Write a comment

  1. Olá. Eu também comecei a conduzir em 2014 apesar de ter carta desde 2004… Mesmo assim, não vou de carro até aos sítios onde vou. Por exemplo, hoje fui ao Vasco da gama com o meu filho de 14 meses e deixei o carro num estacionamento debaixo da ponte. Levei carrinho de bebé, mas quando ele tinha até 8 meses foi sempre no sling. Eu podia deixar o carro no estacionamento do centro, mas que piada isso têm?

  2. Para quem vive na cidade, um carro não faz sentido. Tem os transportes à mão e por falar em Lisboa , os alfacinhas até estão muito bem servidos. No interior do país não se pode dizer o mesmo. O carro é um meio para se chegar a todo o lado. O transporte público é por assim dizer quase inexistente em alguns sítios. Ao volante, dou boleias a quem mais precisa. São outras formas de se estar perante a sociedade.

  3. Estas imagems lembram-me de uma conversa recorrente “Era uma boa ideia. Então e como é que trazíamos para aqui a ovelha? – Vai no carro, com os bancos rebatidos e a janela um bocadinho aberta… até cabe!”

  4. Rosa…eu ainda faço parte desses “nerds”…embora tenha mudado de casa, ainda estou no centro da cidade (Setúbal), vou a pé para todo o lado e quando não posso vou de autocarro, o meu filhote conheçe a rede de urbanas e as igreijas, portadas antigas, fontanários, nomes dos vários jardins e as estátuas que estão no topo das casas muito antigas… até casa da avó (as tampas não o cativam).
    Faço malha no comboio e conheço quase toda a calçada da minha cidade… :) e ando a tentar tirar a carta à muito tempo….o meu marido diz que estou a tentar outra licenciatura… o meu filho diz que deve ser por carregar no “r” (tipico da minha cidade).
    O carro, esse … está na garagem e só sai …nem sei quando sai….
    Como diz o meu filhote:
    -É muito bom andar a pé e ver muitas coisas mãe….mas fixe fixe era andar de carro quando está a chover! …pois filho, fixe fixe era não enjoares tanto! :P

    Bom Ano Novo.

Leave a Reply

Required fields are marked *.