banda sonora (2)

Temos outro disco dos Gambozinos, chamado A Casa do Silêncio, que é também um livro e que comemora os 25 anos do grupo. Gosto muito menos deste. As músicas e letras são de vários autores e falta-lhe o fio narrativo que no outro cose as músicas umas às outras e o transforma numa história (a propósito, encontrei este site sobre discografia em língua portuguesa de música para a infância).

Os discos que faltam não são portugueses e só os temos em cópia porque não se encontram à venda por cá:

Vinícius de Moraes e Toquinho: A Arca de Noé (Ariola/Philips, 1980) – São Francisco, interpretada por Ney Matogrosso e Corujinha, por Elis Regina, são as minhas faixas preferidas.

Raymond Scott, Soothing sounds for baby (Epic Records, 1962) – Ela adora mas eu raramente aguento ouvi-lo todo de seguida. Vale a pena ler o que diz aqui.

…e finalmente:

Vários autores, Ó Bó, uma colectânea pirata caseira que ofereci à minha mãe há mais ou menos um ano para a E. ouvir em casa da avó.

banda sonora (1)

Há vários meses que ela pede para ouvir música (dança, aponta para a aparelhagem e faz hmm hmms muito insistentes). A maior parte das vezes ouve connosco os nossos discos (e o F. garante que a música preferida dela continua a ser o Eleanor Rigby), mas aos poucos está a habituar-se a ouvir (e prevejo para breve a fase de exigir a repetição ad nauseam dos mesmos cd) os da chamada música infantil que temos escolhido. Para já, a discografia dela resume-se a:

Jorge Constante Pereira (música e arranjos) e Sérgio Godinho (letras): Sérgio Godinho canta com os Amigos do Gaspar (Universal, 1988) – Espécie de banda sonora da magnífica série de televisão Os Amigos do Gaspar de João Paulo seara Cardoso, série essa que, a par com as outras do mesmo autor (A Árvore dos Patafúrdios e No Tempo dos Afonsinhos) e a julgar pelo número de posts nostálgicos em inúmeros weblogs, devia sem dúvida ser editada em dvd ou pelo menos reposta para alegria da mais recente geração de pais e mães. Quando quis comprar o disco foi em vão que o procurei na secção que julgava adequada da fnac. Longe dos Batatoons e semelhantes aberrações, os amigos do Gaspar só se encontram junto dos outros discos do Sérgio Godinho.

Suzana Ralha (música), Manuel António Pina (letras), Bando dos Gambozinos (interpretação): O Beco dos Gambozinos (Discantus, 1987 e Fortes & Rangel, 2004) – Não sabemos onde anda o vinil, mas a reedição em cd (que comprei felicíssima na Ler Devagar) ganhou instantaneamente o prémio de capa e design mais feio do milénio. O conteúdo é lindo. Não se percebe.

(continua)

o grande amor

haja o que houver

há sempre um homem para uma mulher

e há de sempre haver

para esquecer um falso amor

e uma vontade de morrer

seja como for

há de vencer o grande amor

que há de ser no coração

como um perdão pra quem chorou

o grande amor

tom jobim / vinicius

(no regresso, entre montedor e o porto, ouvi mais uma vez o grande amor)

vegetables

i’m gonna be round my vegetables

i’m gonna chow down my vegetables

i love you most of all

my favorite vege-table

if you brought a big brown bag of them home

i’d jump up and down and hope you’d toss me a carrot

i’m gonna keep well my vegetables

cart off and sell my vegetables

i love you most of all

my favorite vege-table

oh oh taba vega vegel

(…)

beach boys, vegetables, smiley smile

não é bem um hino vegetariano mas é uma delícia na mesma e faz-me rir sempre que a ouço (oh oh taba vega vegel)

Page 3 of 512345