padrões

african fabrics

Continuando com a história dos tecidos africanos. Entre outros assuntos, quero escrever aqui em breve mais sobre a história do fabrico destes tecidos e, por outro lado, sobre a importância e o significado dos seus padrões. São precisamente os padrões, juntamente com as cores saturadas e o craclé decorrente da estampagem em batik, que nos fazem reconhecer imediatamente estes tecidos como africanos. Muitas vezes são abstractos ou quase, muitos incluem motivos vegetais e animais, mas os mais surpreendentes para o olhar não africano são os que mostram objectos do quotidiano, electrodomésticos, dinheiro, etc. Algumas imagens, de muitas outras que me apetecia mostrar:


african king

Tecido com guarda-chuvas e tronos, atributos régios. Ao lado, uma fotografia de Daniel Lainé.

presidents

Os tecidos com efígies de presidentes e outros líderes são muito frequentes. Na imagem, um dos desta fantástica colecção e uma fotografia daqui. Mais recentes, um e outro exemplo de Moçambique.

chitenge

Do início e dos meados do século XX, um postal antigo de Zanzibar e uma das magníficas fotografias de Seydou Keïta.

E mais tecidos espampanantes, no Flickr:

10 comments » Write a comment

  1. Fantástica estas fotografias! E a organização delas! O tecido com os tronos e chapeus combina magnificamente com a foto do lado. Parabéns!

  2. quando estive no huambo (angola) há um ano atrás pude ver ao vivo esses montes de tecidos no mercado, e pude encher uma mala com eles!!! as cores, os padrões, são tão excitantes que dá vontade de trazer todos e todos para fazer tudo. até agora tenho uma saia e uma tolha, os restantes aguardam ideias…

  3. Rosa, tenho seguido estes teus posts sobre a história da capulana com atenção porque para além de ser muito interessante é-me um assunto familiar, já que cresci junto de uma avó sedenta de conhecimento e apaixonadíssima por África. Encontrei hoje no seu quarto a revista Afro do mês passado, onde vem um artigo sobre a história do traje africano. O artigo em si é muito resumido mas faz referência a um texto de um sociólogo chamado Carlos Serra, que discute as origens da capulana. Se quiseres espreitar: http://oficinadesociologia.blogspot.com/search?q=capulanas-

    Um abraço *

  4. I have been admiring all these batiks since the first time I find your blog. Thank you so much for sharing, Rosa!

    Bin.

    PS: I think your african batik totes are brilliant!

Leave a Reply

Required fields are marked *.


You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>