respigar

respigo

respigo

Perto de Valada, no Ribatejo. Depois da apanha, os campos ficam assim. Parámos num, por graça, e não resistimos ao respigo. Elas adoraram e nem foi preciso andar muito para encher um saco, porque a quantidade de tomate em óptimo estado era impressionante. Parte dele já se transformou em compota (com gengibre e sumo de limão).

A propósito: Love food Hate waste.


respigo

respigo

13 comments » Write a comment

  1. Realmente é uma pena… que desperdicio… mas ao menso sabemo que esse saco teve um final feliz…. yummy!

  2. ena, tomates a perder de vista!

    algo me diz que esses não eram biológicos :(

    mas, ainda assim, um desperdício incrível.

  3. 1º Tudo quero dizer o sítio onde esteve é lindo (Valada), uma terrazinha senhorial solitária no meio do Tejo, foi lá também que se fez a 1º corrida ACP.

    2º Esses tomates parecem optimos e geralmente são melhores que os grandes (sabem mais tomate)vai sair uma compota optima….

  4. Olá Rosa

    Eu nunca gostei de compota de tomate, talvez por causa da receita. Mas gosto de gengibre. Podes divulgar a tua? Tenho tomate em casa a querer se estragar, o que é uma pena. Beijinhos BD

  5. Berta, usei uma mistura de várias recomendações que encontrei on-line: pelei o tomate e pus num tacho com açúcar, gengibre fresco ralado (umas quatro colheres de chá para talvez quilo e meio de tomate) e o sumo de um limão e uma lima. Também ia pôr cravinho mas não tinha em casa. Ficou bem bom :)

  6. Ai, adorei o filme da Agnès Varda. Já o vi umas duas vezes, é tão lindo, tão poético e deixa-me sempre a vontade de ir a correr respigar. Quando o vi a primeira vez, talvez em 2002, nem sabia que isso existia, e fiquei deslumbrada. Mas infelizmente, nunca procurei ou consegui encontrar algo para respigar. Acho que tenho receio de ouvir um sermão… não há problema de entar assim no terreno de outros? Quando era miuda, adorava correr os campos dos vizinhos e apanhar as castanhas do chão, mas nessa altura era criança, e ninguém se chateia com uma criança.

    Também adoro compota de tomate, essa deve ficar deliciosa. Nesta altura tomate, marmelo e abóbora fazem os meus doces perferidos!

  7. Já experimentei fazer a compota com cravinho e pau de canela mas nunca com gengibre. A próxima vai ter gengibre!! Parabéns pelo seu blog. Maria

  8. adoro respigar e ao mesmo tempo entristece-me tanto desperdicio. primeiro o que se faz para se produzir tanto e os custos ambientais que isso traz para depois ficar tanto ao abandono e ninguem aproveitar. é quase um paradoxo. respigar faz-me sentir como se fosse um dos nossos antepassados a apanhar o que a natureza nos dá. e faz-me pensar que a natureza é tão generosa e nós tratamo-la tão mal. também adoro o filme da agnes varda.

  9. Pingback: A Ervilha Cor de Rosa » respigar:

Leave a Reply

Required fields are marked *.


You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>