primeira vez

almofada

almofada

Era para ter sido um cobertor para as bonecas mas pelo caminho passou a almofada. A parte da costura foi toda feita por mim, claro, mas a composição dos tecidos é trabalho dela. A experiência ocorreu-me ao ler os relatos das senhoras de Gee’s Bend sobre como fizeram os seus primeiros quilts. Achei que seria interessante ver o que faria a E. com os restos dos restos dos meus tecidos (primeiro pensei em dar-lhe o monte dos triângulos mas depois achei que era melhor começar com uma escolha mesmo muito limitada e tecidos mais simples). Expliquei-lhe sucintamente o conceito de bloco e que convinha os blocos serem de tamanho aproximado para se poderem unir facilmente. Não lhe pedi para fazer bonito, só para escolher o que lhe parecesse melhor. Usou o que tinha e só se queixou da falta de vermelhos. Para mim foi estimulante vê-la preencher o espaço com o à-vontade que usa para desenhar e, depois, um desafio unir os blocos sem que se perdesse o movimento dos tamanhos diferentes (quase só usei costuras curvas). No fim, acolchoei à mão de forma muito livre e com pontos ligeiramente maiores do que os que uso habitualmente.

almofada

almofada

20 comments » Write a comment

  1. O resultado agrada-me sobremaneira.
    Gostei que ela quisesse uma cor faltante.
    Depois de bem lido o processo (um dos muitos de “quiltar”), mais me convenço que fazer uma trabalho destes meus, será apenas conjugar tecidos e desenho e mandar fazer. :D
    SP

  2. Linda!

    Assim se vê que com liberdade criativa, os resultados são sempre interessantes.

  3. Donde se percebe que a criatividade também está nos genes…
    Muito bonito tudo – o processo e o resultado! Espero que se repita…
    Cumprimentos

  4. Rosa,
    sinto-me contente de ser testemunha do primeiro trabalho de E.
    Acredito que ela vai gostar de juntar tecidos, papéis, fotos, mosaicos… é contagiante! Estou escrevendo meu trabalho de doutorado em literatura mas tenho na ponta da mesa o que chamo de “recreio”. O trabalho com esses materiais é uma forma de meditação.
    Um abraço, Lisbeth

  5. Sigo o ervilha cor de rosa há muito tempo, nunca tinha comentado, mas o meu piratinha vai precisar de lençois no colégio e esta ideia é demais :) obrigada, vou aproveitar umas sobras de tecido que tenho lá por casa e pôr mãos à obra :)

  6. simplesmente linda, cada vez tenho mais vontade de fazer trabalhos deste genero.
    gosto muito do teu blog.
    continua assim
    bjo.

Comentar