13 comments » Write a comment

  1. Em relação a fotografias e museus há amores/desamores nesta interacção. De facto também concordo consigo, Rosa.Tenho podido sempre fotografar à vontade, sem problemas, quando muito sendo obrigado a não utilizar o flash, que de qualquer maneira nunca uso. Isto ao contrário de muitas instituições, onde o caso mais paradoxal é o próprio Centro Português de Fotografia, onde nem o edifício se podia fotografar! (atenção, que a última vez foi há cerca de um ano)
    Feliz 2010

  2. Essas meias parecem ser tão quentinhas.:)
    Ainda não fui visitar a tua loja e estou aqui tão pertinho. shame on me.
    Rosa, não sei sabes, mas no prédio que estão a reconstruir(?) que fica mesmo em frente ao Largo da Trindade e que faz esquina com a Travessa da Queimada, estão a tirar todos os azulejos da fachada…é um crime…se ainda não tiraste fotografias aqueles recomendo ires os mais depressa possivel, pois quando vinha para a loja reparei que já retiraram mais de metade….:(

  3. Só de pensar em limpar os pés num tapete destes…. até me dá arrepios:(
    Este vai para um lugar especial… e ainda hei-de entrar naquela arca;)

  4. As meias são lindas, mas o tapete de retalhos é brilhate! A rosácea, a escolha dos tecidos, a paleta de cores, tudo perfeito! Quisera eu achar beleza semelhante nas Antípodas…

  5. Olá Rosa
    O próximo eu quero ir!! ando com dificuldades com o calcanhar!!!
    Bjs

  6. Pingback: A Ervilha Cor de Rosa » ☼:

Comentar