ministry of food

ministry of food

ministry of food

No Imperial War Museum vimos a exposição Ministry of Food. É uma exposição documental muito bem montada sobre o racionamento de alimentos em Inglaterra durante a Segunda Guerra Mundial e as campanhas de informação do Ministry of Food (Ministério da Comida). Só pela qualidade gráfica dos cartazes a visita já teria valido a pena, mas foi impressionante ver como se pôs um país inteiro a cultivar legumes no quintal e a combater o desperdício de alimentos. Ver ao vivo alguns quadros de Evelyn Dunbar, uma pintora de que gosto muito, foi a cereja em cima do bolo.

A propósito, o projecto homónimo de Jamie Oliver: Ministry of Food.

ministry of food

ministry of food

ministry of food

10 comments » Write a comment

  1. Tenho visto alguma coisa sobre o projecto de Jamie Oliver. Parece-me fantástico e, ao mesmo tempo, assustador, na medida em que tanta gente não tem a menor noção do que é comer bem.
    por cá podíamos fazer alguma coisa de jeito com a ideia das hortas comunitárias que estão a surgir em vários municípios do país. mas, salvo um ou outro caso, em que até se dá alguma formação às pessoas (por ex. sobre agricultura biológica, não tenho conhecimento de outras ideias de fundo associadas a esta.

  2. Adorava ver essa exposição. A forma como os ingleses reagiram à guerra é uma lição de coragem e perseverança. E, nestes tempos de fast food desenfreada, o projecto de Jamie Oliver (um de vários muito interessantes) fascina-me. Adoro a energia e o entusiasmo que ele põe no que faz e penso que tem conseguido de forma muito eficaz pôr o tema da alimentação na ordem do dia.

  3. Olá Rosa!
    Fantástia, a exposição.
    Também adoro o conceito do Ministery of food.
    Acho que a ideia ficaria muito bem “adaptada” por cá, por cozinheiros fantásticos como por exemplo a Mafalda Pinto Leite, que tem nos seus livros exemplos muito agradaveis de que, comer bem e poupar é possivel.
    Porque, também por cá, há gente que não sabe cozinhar, que só come fast food e comida congelada…eu vejo isso no meu trabalho, no dia-a-dia, nos supermercados.
    Quanto maiores e mais graves os periodos de crise, maior a perda de consciência social das pessoas.
    Lamentável deixarmos isso como testemunho aos nossos filhos, não?
    Acho que vamos sempre a tempo de mudar, é preciso é haver vontade.

  4. Olá Rosa
    Por intermédio do meu marido (inglês) tive o enorme prazer de conhecer uma senhora bem velhinha (faria em breve 100 anos, se fosse viva) e de ouvir estas (e outras) histórias do racionamento de alimentos ao vivo e a cores. O jardim dela, por contraste com todos os outros da rua, floridos ao jeito bem britânico, era ainda usado para plantar todo o tipo de produtos hortícolas em 2000.
    Elizabete Wilkinson

  5. que exposição maravilhosa! conheci o ministry of food através do jamie oliver. Tendo vivido algum tempo na Inglaterra, me pareceu um projeto tão tão adequado! Não sinto saudades das comidas de lá, mas sinto muita falta das exposições :)

  6. As acções foram incriveis, mas foram tempos muito muito dificeis. Tenho pessoas de familia que cresceram nesses anos em Inglatera.

  7. E as hortas que faziam no jardins das cidades? Incrivel.
    Eu cresci com horta e – agora ando cheia cheia de vontade de começar a minha.
    À conta das receitas do Jamie Oliver comemos cá em casa legumes que nunca tinha experimentado e de formas que não me passava pela cabeça…funcho, a rama das beterraba salteda, abobora assada no forno com especiarias…uhm….

Comentar