parasitas

copycat

Parasita, s. 2 gén. Aquele que come ou vive à custa de outrem; adj; diz-se do animal ou da planta que, associado com outro ser vivo, o prejudica de qualquer modo; fig. inútil; supérfluo. (Lat. parasitu, do gr. parasitos).

Não mata mas mói, é o que me ocorre dizer a propósito dos muitos episódios de plágio que tenho optado por não referir aqui. Por um lado porque depois deste dificilmente perco a compostura e por outro porque prefiro não dar demasiado tempo de antena aos protagonistas. Tenho-me aborrecido quando lojas on-line portuguesas fazem copy e paste dos termos de utilização da Retrosaria porque acham que é só uma faq igual a qualquer outra loja (foi a justificação que recebi de uma delas), sem que lhes ocorra que qualquer texto tem autor, deu trabalho a escrever e que não custa nada enviar um email a perguntar se podem usá-lo. Até os meus galões têm sido vítima de inspirações abusivas. Uma das mais recentes fora esta (cuja justificação continuo a não considerar válida) e a última é a que ilustra este post: uma empresa alemã chamada Janeas World copiou um dos meus desenhos, alterando-o só o essencial para não ter problemas legais.

Os comentários que este tipo de situação costuma suscitar são em geral repetitivos e não trazem nada de novo: a originalidade não existe, toda a gente copia toda a gente, se a roda estivesse patenteada andávamos todos a pé, é o que dá divulgar o trabalho na net, etc. A verdade é que casos como este são impossíveis de controlar e, na sua esmagadora maioria, de punir legalmente. O apoio legal é demasiado caro e os processos são demasiado burocráticos e morosos. Isto é assim mesmo que se tenha registos e patentes, sejam elas nacionais ou internacionais. O facto de os meus bonecos estarem protegidos por patentes europeias não impediu que uma grande empresa, pelo menos duas pequenas/médias empresas e um sem número de artesãos os copiassem. Nada a fazer? Talvez não seja bem assim. A internet, se por um lado facilita imensamente o trabalho a quem copia, por outro pode provocar grandes danos na imagem dos que o fazem. As notícias espalham-se depressa, as redes sociais funcionam em tempo real e tenho visto com bastante satisfação casos em que os leitores/seguidores/consumidores exercem pressão suficiente para que júris retirem prémios atribuídos e empresas retirem produtos do mercado. Quem copia que se cuide!

PS: a dona da empresa Janeas World (Gaby Siewertsen) respondeu ao email que lhe enviei pedindo que não vendesse o galão copiado com a seguinte pérola:
I did look at your elefantes ,but I did not copy your design…sorry!!
I make my own designs,they are all handdrawn by me in my studio (and I do have them drawn on paper)
Your elefantes are very differnt ( they do have 4 legs NO flower in it… ect)

54 comments » Write a comment

  1. Olá Rosa
    Parabéns pelo teu trabalho que, naturalmente tem muitas referências, mas que é muito inovador. É uma boa maneira de estar na vida.
    A inspiração é muitas vezes o primeiro momento do processo criativo, mas é o esforço intelectual e a experiência que transformam as simples ideias em algo completamente novo.
    O que dói mesmo é a falta de respeito pelo trabalho de terceiros.
    O Código de Direitos de Autor é uma coisa muito séria e que pelos vistos não é respeitada por cidadãos de paises supostamente desenvolvidos. A referida senhora assume descaradamente que plagiou mas que “inocentemente” não vê o “crime” que cometeu, estamos perante uma total ausência de valores e de muita falta de imaginação.
    Flor

  2. A batota faz parte da natureza humana.

    A frustração de quem joga de acordo com as regras às vezes é incomensurável, difícil de suportar. a do cidadão que paga os seus impostos. a do atleta que não se dopa. a do profissional/ artista/ criador que é sério na sua actuação e propósitos.

    A injustiça é muito difícil de aceitar quando nos toca na pele. porque é disso que se trata.

    há que recorrer às armas que se tem e continuar a fazer as coisas como se acredita que é correcto. or else it will eat you up.

  3. Hello Ana – Your elephant ribbon is far cuter! What a shame that this type of thing continues to happen. I bought my ribbon from an Australian company who imported it from Germany. It is sad that the company didn’t give your design more respect.

Leave a Reply

Required fields are marked *.