vestir-me

vestir-me

vestir-me

Este ano ainda não comprei nenhuma peça de roupa. Das várias vezes que estive à beira de o fazer (o momento crítico foi a chegada do catálogo da Boden), feita mentalmente a lista das peças que me fazem realmente falta, pensei que mais valia fazê-las eu. Preciso de uma ou duas saias (a que mais uso fi-la no século passado), um par de calças de ganga que vou mesmo ter de comprar e de blusas. Várias blusas de algodão das quais terminei hoje a primeira. É uma adaptação (mais curta e mais estreita) deste vestido cujo molde está num dos meus livros japoneses preferidos, da autoria de Naomi Ito (já esteve na Retrosaria e há-de voltar em breve, acompanhado de tecidos novos da mesma autora).

Como nunca tinha feito um colarinho, alinhavei bastante antes de coser e fiz muitos acabamentos à mão: duas lições a usar nos próximos projectos.

9 comments » Write a comment

  1. Pingback: A Ervilha Cor de Rosa » leve:

Leave a Reply

Required fields are marked *.


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.