pó

pó

pó

pó

Dormem no sótão, em gavetas e álbuns desfeitos. Já não lhes sabemos os nomes nem ao certo se são antepassados ou longínquos primos. Fazem-me passar horas a compor o interminável puzzle da família.

8 comments » Write a comment

Leave a Reply

Required fields are marked *.


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.