a transumância I

madrugada

Uma mole de homens e animais subiu a montanha em busca de alimento, como todos os anos há milhares de anos. Ovelhas, cabras, homens, cães, duas mulheres. Do nascer do sol ao meio dia, do ar imagino que parecêssemos um organismo vivo, cor de terra, esticando e engrossando consoante a largura dos caminhos, acordando o povo ao som de quase mil chocalhos…


View Larger Map

8 comments » Write a comment

  1. Pingback: pêras e cabeçadas: os furos | A Ervilha Cor de Rosa

  2. Pingback: santo antónio em outeiro de espinho | A Ervilha Cor de Rosa

Deixe uma resposta

Required fields are marked *.


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.