a transumância ii

américo

miguel

É outro estar, em que o silêncio não cansa, viver de homens em que fomos intrusas. O convívio e a amizade que elegem como valores não traduzem o afecto entre pastores que choraram juntos de medo quando numa noite de trovoada viram os raios estilhaçar os penedos à sua volta, que salvaram por pouco o rebanho de um incêndio ou que partilharam semanas quase isolados no cume da montanha. Estranho e fascinante mundo em que as mulheres parecem o sólido fio de terra, portadoras da bucha, da roupa e dos filhos, mas não das estrelas.

descanso

descanso

15 comments » Write a comment

  1. Pingback: A Ervilha Cor de Rosa » lá em cima:

  2. Pingback: pêras e cabeçadas: os furos | A Ervilha Cor de Rosa

  3. Pingback: os pompons | A Ervilha Cor de Rosa

Leave a Reply

Required fields are marked *.


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.