Etsy

Enquanto via no Flickr uma série de bonecos feitos em crochet e tricot (gostei sobretudo do Arnie da Marilyn Patrizio e do June bug da Jess Hutch), descobri uma novidade no universo crafty que de certeza que vai dar que falar. Chama-se Etsy e é um site aparentemente muito simples de perceber onde qualquer pessoa pode vender ou comprar objectos feitos à mão. Como acaba de ser lançado, até ao fim de Julho não serão cobradas quaisquer comissões a quem queira usá-lo para vender as suas criações. Cada vendedor tem uma loja com direito a profile e imagens, os produtos podem ser procurados por autor, categoria (por exemplo toys), palavras-chave e materiais, e o funcionamento está explicado aqui. É de experimentar!

feira laica (dia 2)

Liliana Maia

Deixei as compras para hoje: um colar da Liliana Maia* (eu que não uso colares apaixonei-me por este) e a irresistível Malva (I buy DIY).

O dia voltou a ser quente, mas mesmo assim houve resistentes (obrigada Tito, Dora, Sandra, Ana, Ana, Cláudia e tantos outros) a ir aos Olivais de propósito para visitar a feira. Vários bonecos e sacos partiram com novos donos, mas ainda ficaram alguns da nova leva destes e destes para acrescentar à loja.

feira laica

Read more →

feira laica (dia 1)

camilla engman

Desta e da primeira vez que se realizou, o melhor que a Feira Laica tem é o ambiente, muito mais descontraído e amigável do que o das outras feiras, e com coisas mais especiais para ver e comprar (como o irmão mais novo e aos quadradinhos do caderno liso ou a fanzine Urtiga), para além de uma animadíssima secção de comes e bebes. A parte mais quente do dia passou devagar e sem muitas visitas, mas com os feirantes e respectivos bebés animados à conversa debaixo das árvores e guarda-sóis. Com o “fresco” da tarde veio mais gente, e à hora de saída o ambiente era de festa. A E. apaixonou-se por um boneco da Camilla (já só há um) e, como eu tinha previsto, pelos patos também.

Amanhã há mais!

sacos e saquinhos

Read more →

mini tote

saquinho

Ultimamente, quando sai comigo, a E. quer levar à rua os livros preferidos dentro de um saco. Temos levado o saco do Mico feito pela Alê ou o o saco-joaninha mas também lhe quis fazer um, claro, até porque no porta-tá só cabe o telefone. Usei um tecido português que deixou de se fabricar (já o tinha usado aqui) e uma das minhas fitas antigas preferidas.

Links:

Carimbos japoneses (via Horoscope Mura).

Depois dos Minilabo, que conheci há pouco tempo, uma maré de bonequeiros franceses, via One Good Bumblebee: Fofi, Clémentine Collinet, Colonel Moutarde e Shinobu.

…e mais uma boneca bem acompanhada.

shangri la

saco de chita

Os sacos de chita continuam e ainda tenho vários padrões para experimentar. Os primeiros que enviei já devem estar a chegar às suas novas moradas, e quem sabe se um destes dias me cruzo com um na rua.

Via Maia: outros sacos de usar e não deitar fora.

A poucos meses de a E. ir para o infantário, ando mais do que nunca atenta aos grupos de meninos que vejo na rua a caminho do jardim. Anteontem ouvi a seguinte pérola, saída da boca de uma mulher que, com outras duas, acompanhava um grupo de crianças de três e quatro anos: fazes nas calças, levas, ouviste? (de mão levantada e ar ameaçador). Mal recuperei o sangue-frio fiz questão de perguntar de que instituição vinham, para ficar a saber. É mais fácil perceber onde não pôr os nossos filhos, apesar de tudo.