um ano de sling

babywearing love

A A. entrou pela primeira vez no sling com duas ou três semanas de vida e desde aí provavelmente não passou um único dia sem ele (ou melhor, sem eles, porque de lá para cá ficámos com uma verdadeira colecção). Não querendo parecer que estou a exagerar, acredito que a nossa vida teria sido diferente e mais difícil sem a ajuda do precioso acessório. Com um high-need baby de um lado e uma menina pequenina do outro, houve muitos dias em que estive no limite das minhas forças, e o sling funcionou como um terceiro braço com poderes mágicos. Por causa dele não cheguei a usar a cadeirinha que tinha comprado, aprendi imenso sobre as mil e uma maneiras de trazer os filhos às costas e contagiei muita gente com o meu entusiasmo.


babywearing

Para além de fotografias para a minha colecção, tenho recebido alguns relatos que acho que vale a pena partilhar. O mais recente veio da Tânia Cardoso, que espero que não se importe de eu o reproduzir aqui:

Comecei por usá-lo em casa onde tem imensas vantagens:dá-me imensa liberdade, o Manel fica em contacto com um mundo a que não tem acesso do seu berço e outros apetrechos convencionais para bebés, permite sestas fantásticas, cocós milagrosos (é certinho, dois minutos no sling e os intestinos começam logo a funcionar!!), para além de tudo o que já foi dito e escrito sobre o sling e que subscrevo! Também já saí à rua e casa de amigos, sentindo-me grávida outra vez, posso pegar em coisas, sentar-me à mesa com outras pessoas… etc, etc… e ele aqui tão pertinho! Tenho tirado algumas fotografias onde fica bem espelhada alguma da magia do sling: liberdade para a mãe, o bebé vê as pessoas, dá e recebe atenção só de estar em interacção natural, sente-se bem tanto a dormir, como acordado, em movimento ou parado. Outra coisa: dá vontade de fazer-lhe muitas festas nas costas, tal e qual como fazia à barriga, é inevitável…mas também ninguém quer evitar, certo? O sling é um colo sem ser colo, é um colo especial, com as vantagens do colo e as de haver espaço, privacidade e liberdade para todos. É incrivel como estando tão colados, podemos gerir proximidade e espaço individual.

Na loja, novas fotos e novos slings.

15 comments » Write a comment

  1. O que me teria ajudado há muitos anos atrás, quando levava a Ana pela mão e o André ao colo, em correrias a caminho da casa da avó , da escola e do emprego.

  2. Subscrevo tudo o que a Tânia disse e ainda acrescento que as pessoas estranham que a Beatriz passe os dias a rir para toda a gente e esteja sempre atenta a tudo o que se passa à volta. Por mais simpática que ela seja “de fábrica”, não me parece que fosse assim, se tivesse passado estes nove meses escondida dentro do ovo.

  3. Lendo o que escreveu sobre slings me lembrei de como foi útil, prático e agradável usar um destes quando minha filha era pequena. Na época pouquíssimas pessoas conheciam e não tinhamos uns tão lindos quanto os seus à disposição e usei um tecido comum mesmo para fazê-lo, e foi realmente maravilhoso em todos esses sentidos. Hoje minha filha já está com quase 15 anos e fico feliz de poder ter estado com ela tanto tempo juntinhas. Parabéns pelo seu trabalho Rosa, gosto muito do que faz.

    Abraços do Brasil

  4. Muitos Parabéns!!

    E que venham muitos mais anos ainda, eu estou mesmo muito satisfeita, e todo esse relato poderia ter sido escrito por mim ou por qualquer outra mãe que o use.

    Obrigado Rosa **

  5. Não há um dia que não o use… Comecei a usá-lo tinha o J. menos de um mês, durante um mês. Voltei a usá-lo quando ele já tinha 3meses e meio e até hoje. Todos os dias de manhã o enrolo na minha mala (uma das mil vantagens – espaço que ocupa)para à tarde ir à escola buscar o J.(10 meses) e o N. (5 anos) e lá vamos de Metro para casa passando primeiro na mercearia (afinal ainda me sobram braços); quando não é slingado, também serve de agasalho; …e os comentários simpáticos que recebo são reconfortantes: as mulheres grávidas também querem um… e as mães e os pais também. Outras há que querem ter filhos para também poderem usar um sling (?!)…. o meu irmão não tem filhos, mas não dispensa o meu sling quando passeia o J.

    E a Tânia tem mesmo razão: as nossas mãos tão livres que estão têm que estar sempre a mexer no cabelo, nas suas mãozinhas, a fazer festinhas, a tamborilar os dedos nas costas, etc.

    Para mim a única desvantagem é mesmo quando chegarem o Inverno e os casacos… se calhar vou ter que comprar um XXXL….

    Obrigada Rosa pelo 3º braço (de ouro)

  6. Eu tb subscrevo tudo. E tb criei uma grande colecção neste meu ano de sling (o Luis faz anos no Domingo). Devo ter usado as rodas 3 ou 4x.

    É tb um bebe simpatico e tranquilo e que adora ser pendura. Foi uma descoberta maravilhosa e qs que me dá vontade de ter outro bebe para poder criar os mesmos laços.

    Sou uma grande entusiasta e tento divulgar o babywearing. Agora ja sou mais comedida no meu entusiasmo, há pessoas que se sentem mais à vontade com a parafernalia habitual. Mas para mim foi uma revelação e fez-me descobrir aspectos de mim, tb, que não conhecia.

  7. parabéns pelo ano de existência de slings. por cá vai o meu muito obrigado pelo sling que fez para o meu mais pequenino sobrinho… ele anda muito feliz a slingar* pelo mundo.

    *slingar – verbo inventado pela minha melhor amiga assim que soube que iria ter um M. a passear por aí :)

    Raquel :)

  8. Parabéns Rosa!

    O sling foi das melhores coisas que comprei para o meu filho e cá em casa tanto o pai como a mãe usam e abusam, aliás há dias em que até o disputam: “vá, agora sou eu que levo o menino”. É uma delícia senti-los tão juntinho a nós e sem dar cabo das costas. Para além do prazer óbvio de exibir uma peça tão linda feita por ti.

  9. Rosa!

    Você nem imagina o quanto tem contagiado aos outros com os slings! Ainda não tenho filhos, estão apenas ainda nos planos, mas confesso que esta noite sonhei que tinha uma criança pequena e outra de colo, e como não dava conta do recado, ficava pensando no sonho que precisava entrar logo no seu blog para encomendar um para o bebe!

    Parabens pelo um aninho!

  10. Que delicadeza que você passa pra gente!

    Lindas fotos…muito meiga!

Leave a Reply

Required fields are marked *.