vvvvvvv~~~vv

l'art populaire en france

Menos posts que de costume porque ao trabalho habitual juntei nas últimas semanas a tradução de um livro de tricot feita a convite de uma editora portuguesa (é caso para dizer finalmente, porque depois deste poucos ou nenhuns com interesse se editaram por cá). Não sendo um trabalho muito criativo, foi óptimo para ganhar experiência, escolher termos, praticar abreviaturas, etc. Além de que na pesquisa acabei por constatar que por detrás da excelente tradução d’O Grande Livro dos Lavores está o mesmo Fernando Baptista de Oliveira que escreveu O Tricot em todas as modalidades, o Método de Corte, e ainda (e isto é que me surpreendeu mais) a História e Técnica dos Tapetes de Arraiolos, que continua a ser a grande (única?) obra de referência sobre o tema. Quem seria este homem?

As imagens do post são de dois dos livros que folheei hoje, um dos anos 70 sobre arte popular em França e o outro um manual espanhol de engenharia têxtil dos finais do século XIX.

teoria de tejidos y tisaje

6 comments » Write a comment

  1. Escreveu também o livro ” A arte de coser e bordar” da Editorial “O Século”, uma junção de “A costura sem mestre” de 1951 e “Os bordados”. Não consigo mais datas.
    Tenho este livro que me informa de outros livros do mesmo autor, que se interessar listarei, em parceria com as máquinas de costura Oliva.
    Na compra das máquinas havia cursos gratuitos de corte e bordados. Vou procurar mais informações.

  2. Ola Rosa. Eu tenho uma primeira edicao do Methodo de Corte sistema Frances, de Mme Louise Valmier, uma copia de 1909. E um pequeno tesouro, as tecnicas de drafting nesse livro aplicaveis hoje em dia, mesmo que os modelos nao o sejam (as medidas das ancas incluem o bumroll/bustle e as da cintura o uso de um corset). :) gostei muito deste post… ontem estava ler um livro sobre os ultimos meses de Louis VI e descreve Marie Antionette a ensinar a sua filha a tricotar. Gostava mesmo de ver imagens de tricot do seculo 18!

  3. Também encontrei o “costura sem mestre” e o outro livro do Baptista de Oliveira que e mencionado mais acima, no mesmo alfarrabista!

Comentar