cartilha escolar (ler, escrever e contar)

cartilha escolar

cartilha escolar

A três meses dos cinco anos, depois de muito tempo compenetrada a fazer que entendia os Harry Potter da irmã, perguntei-lhe se queria aprender a ler. A E. aprendeu por osmose, surpreendentemente cedo, entre a Isaurinha e muitos outros livros, e a A. está a aprender pelo mesmo livro que a minha mãe usou comigo, também por volta dos quatro anos. Gosto da Cartilha Escolar do Domingos Cerqueira, publicada ainda durante a Primeira República e por isso de conteúdo bastante diferente (na página do r brando tem a palavra greve) das do Estado Novo, mais reeditadas e conhecidas. As nossas aulas resumem-se a uma página do livro quando ela se lembra (às vezes dia sim dia não, outras vezes passada uma semana). Testemunhar a maneira como uma criança pequena aprende é qualquer coisa de extraordinário, seja a fazer tricot ou a ler cá vai a vaca.

6 comments » Write a comment

  1. Tinha de comentar: é mesmo extraordinário!!!
    Sempre soube que a alegria de ser mãe viria com a idade da aprendizagem!! Como diria uma amiga minha” as crianças deveriam nascer com 3 anos”.
    O meu aprende pela cartilha do século XXI: o computador! Letras de corpo 20, uma página para o nome, outra para a palhaçada e a seguinte um V e um A “VA”. E o resto números que é o que ele gosta, contas!!
    A cada ano que passa sinto que a maternidade é isto ensinar e mostrar o mundo, criar Homens e Mulheres cultos, com princípios de respeito, tolerância e fraternidade. Atrás de um grande Homem/Mulher está sempre uma grande Mãe!

    Adorei o pormenor da “greve” em vez de “brando”, maravilhoso.

  2. Realmente é surpreendente ver como as crianças vão associando as letras e tentando escrever, às vezes até me arrepio. Andamos deliciados com esta fase, aqui por casa não interferimos, a B. vai escrevendo pelo som, cada palavra é um tesouro. Até fico com pena que para o ano ela já entra na primária e vai passar a escrever tudo certinho, falta tão pouco para esta fase acabar, guardamos os papelinhos todos.
    Viva o poder da leitura!

  3. Também a minha neta, de 3 anos e meio, já vai reconhecendo as letras do seu nome. O mais engraçado é que são precisamente o V e o A que ela conhece melhor, o E ainda tem dificuldade. O seu nome é Eva e quando começo a escrever o nome e paro de propósito, ela já me diz que falta o V e o A. Até fico de boca aberta com tanta capacidade (sou a avó, por isso babo-me…)no seu metro e dez de altura… Acho que também vou ter saudades, quando ela crescer. Como tenho dos meus filhos…

  4. Que doçura e momento mágico em ler sua publicação. Me remeteu aos tempos de escola, os primeiros anos, e também lembrei da época que minha irmã me ensinou a ler. Doces memórias!

    Um abração do Brasil

Comentar