povo

POVO

POVO

A ver no Museu a Electricidade só até dia 19, POVO. Exposição-instalação de autor(es) e não uma abordagem histórica, é um percurso cuidadosamente pensado e recheado de surpresas (para mim, pelo menos): as lindíssimas fichas do Inquérito à Arquitectura Regional Portuguesa, o inesperado destaque à obra de Eduardo Nery, uma colecção inteira de figurinhas de madeira de TOMRead more →

museu municipal de penafiel

museu municipal de penafiel

museu municipal de penafiel

Desde que abriu, no ano passado, que estava na minha lista de sítios a visitar. As aventuras e desventuras do Museu de Arte Popular (cujo futuro não se apresenta necessariamente risonho) levaram-me a estudar um pouco da história dos museus etnográficos em Portugal e das problemáticas que eles levantam hoje em dia.
Enquanto visitante mais ou menos leiga, parece-me que o museu da Câmara de Penafiel cumpre magnificamente as suas funções. Raramente se vê por cá uma museografia tão cuidada e interessante, em que apesar de se sentir o trabalho autoral de quem concebeu o percurso este nunca se sobrepõe ou interfere com a fruição das peças em exposição. Da arquitectura à infografia, passando pela forma como as novas tecnologias são usadas (adicionando contextos e níveis de leitura mas sem protagonismos ou excessos), o museu consegue ser informativo, enriquecedor e emocionante. Falta-lhe, a meu ver, um site à altura, que permita conhecer o resto do espólio do museu e o trabalho dos investigadores a ele ligados. Read more →

tapeçarias de pastrana

tapeçarias de pastrana

tapeçarias de pastrana
A Tomada de Tânger. Tapeçaria atribuída à oficina de Passchier Grenier, Tournai (Bélgica). Último quartel do século XV (pormenores).

Fomos ao MNAA ver A Invenção da Glória. D. Afonso V e as Tapeçarias de Pastrana. É de certeza uma das exposições mais imperdíveis de 2010, tanto pela qualidade das peças como pelo interesse dos mistérios que as rodeiam. Fico-me por um dos pormenores que me prenderam: os bebés às costas das mães que abandonam Tânger aos conquistadores portugueses. Partindo do princípio que a tapeçaria é a materialização belga de uma cena passada no norte de África descrita (com que pormenor?) e encomendada por Portugueses, que tipo de babywearing tardo-medieval estaria ali representado afinal? Surpreendentemente, umas horas ao computador parecem dar a resposta: Read more →

ministry of food

ministry of food

ministry of food

No Imperial War Museum vimos a exposição Ministry of Food. É uma exposição documental muito bem montada sobre o racionamento de alimentos em Inglaterra durante a Segunda Guerra Mundial e as campanhas de informação do Ministry of Food (Ministério da Comida). Só pela qualidade gráfica dos cartazes a visita já teria valido a pena, mas foi impressionante ver como se pôs um país inteiro a cultivar legumes no quintal e a combater o desperdício de alimentos. Ver ao vivo alguns quadros de Evelyn Dunbar, uma pintora de que gosto muito, foi a cereja em cima do bolo.

A propósito, o projecto homónimo de Jamie Oliver: Ministry of Food. Read more →

lisboa tem histórias

Lisboa tem histórias

Lisboa tem Histórias

Não há quem não tenha reparado nas bonitas bandeirolas do João Fazenda espalhadas por aí, mas só há pouco tempo se percebeu que correspondem de facto a uma exposição no Museu da Cidade (eu bem que olhei para elas à procura de mais informação e não está lá). A exposição, essa, começou só em Fevereiro e já está mesmo a acabar, mas merece uma visita de última hora, com ou sem crianças. É um óptimo exemplo de boa selecção de peças, contextualização e montagem. Read more →

casa das histórias

casa das histórias

casa das histórias

Faz de conta que aqui estão vários pormenores de A Batalha de Alcácer Quibir, o extraordinário e enorme bordado de Paula Rego, e imagens do homem-porco, o boneco/modelo personagem de uma série de litografias. A mim, um museu em que não se pode tirar fotografias tem muito menos que contar.

via láctea

via láctea

via láctea

Um dos projectos associados a esta edição da Experimenta que ainda não tinha visto era este Via Láctea, uma colaboração entre Júlio Dolbeth, o designer francês Sam Baron e a Vista Alegre. A ilustração e a porcelana têm aparecido juntas noutros projectos semelhantes (♥ Studio Violet), mas as peças não deixam por isso de ser muito bonitas e bem conseguidas (mais imagens no site de Júlio Dolbeth). E por acaso estou quase a fazer anos… Read more →

Page 4 of 9« First...23456...Last »