leve

new and to do

nani iro

Demorou duas horas a fazer, entre copiar o molde (este, do mesmo livro da anterior) e pôr a secar para a poder vestir à tarde. Este tipo de tecido, ideal para dias quentes, é japonês e chama-se double gauze. Como o nome indica, é composto por duas camadas de uma espécie de gaze, o que o torna muito leve e macio (outro exemplo). O padrão é da Heather Ross e ou muito me engano ou foi directamente inspirado nas lindíssimas tapeçarias medievais chamadas La Dame à la licorne. Se conseguir convencer-me de que não preciso absolutamente de ficar com os rolos inteiros para mim, ponho-o juntamente com os outros amanhã na Retrosaria.

Read more →

vestir-me

vestir-me

vestir-me

Este ano ainda não comprei nenhuma peça de roupa. Das várias vezes que estive à beira de o fazer (o momento crítico foi a chegada do catálogo da Boden), feita mentalmente a lista das peças que me fazem realmente falta, pensei que mais valia fazê-las eu. Preciso de uma ou duas saias (a que mais uso fi-la no século passado), um par de calças de ganga que vou mesmo ter de comprar e de blusas. Várias blusas de algodão das quais terminei hoje a primeira. É uma adaptação (mais curta e mais estreita) deste vestido cujo molde está num dos meus livros japoneses preferidos, da autoria de Naomi Ito (já esteve na Retrosaria e há-de voltar em breve, acompanhado de tecidos novos da mesma autora).

Como nunca tinha feito um colarinho, alinhavei bastante antes de coser e fiz muitos acabamentos à mão: duas lições a usar nos próximos projectos.

confecção

calças novas

As calças do início da Primavera já ficam pelo meio da perna e precisam de um elástico menos apertado. Fiz-lhe ontem umas novas, sempre com os restos de ganga dos slings mas agora com forro para ficarem mais quentinhas. Usei um molde de um dos meus livros japoneses e do lado de dentro pus este tecido. Na cintura usei um botão e elástico com as respectivas casas, para as poder alargar mais facilmente quando for preciso.

Read more →

dela

making of

making of

Como prometido, fiz para a E. uma blusa igual à minha. Ela desenhou-nos enquanto eu copiava os moldes para o retalho que sobrou destes slings, no chão como o costume. O figurino provou ser tão bom em tamanho pequeno como em grande, e talvez venha a usá-lo ainda mais vezes (aos que perguntaram: para breve, na Retrosaria, não este mas outros livros com moldes para mãe e filha).

Read more →

blusa

tecido africano

Pormenor de uma fotografia de Joseph Moïse Agbodjelou (Benim, ca. 1950) in Anthologie de la Photographie Africaine (Paris, Editions Revue Noire, 1998).

Este é um dos tecidos de que mais gosto. Uso-o todos os dias no sling da A. e serve-me de encosto à noite numa almofada do sofá. Percebi recentemente que o padrão já tem mais de meio século porque o descobri nesta fotografia (o ser tão bonito explica a longevidade).

blusa

Com o pedaço que me sobrava fiz uma blusa para mim, a partir de um molde de um livro japonês dos que tenho tido na Retrosaria (o molde também vem em tamanho de criança, e a E. já encomendou uma para ela com este tecido, para ficarmos parecidas).

Read more →

Page 2 of 41234