diário de uma camisola

#knitting #handspun

#retrosaria

Com os muitos quilómetros feitos junto ao Douro na semana que passou a camisola foi crescendo. Os cálculos do Raglanify não foram exactos quanto ao momento em que devia deixar de fazer aumentos para as mangas (julgo que porque as malhas trabalhadas com este fio ficam invulgarmente largas proporcionalmente à altura), mas a vantagem deste método é que a camisola pode ser experimentada à medida que é feita. Entretanto tenho fiado e sonhado com um tear.

Este blog fez doze anos há poucos dias. Doze anos depois continua a ser-me precioso, imprescindível. Por muito que os novos social media dispersem as leituras, vivam no instantâneo e nas frases curtas, é aqui que continuo a sentir-me melhor. É quase como se se completasse um círculo e o blog voltasse a ser tranquilo e discreto como no início. E há muitas leituras lentas que continuo a fazer. Aqui ficam uma, duas, três (e desta terceira deverá haver em breve novidades na Retrosaria).

8 comments » Write a comment

Leave a Reply

Required fields are marked *.


This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.