made in Portugal

Careto

Às vezes entro nas lojas para turistas da Baixa só para ver o que impingem aos estrangeiros mais incautos (predominam os galos de Barcelos made in China e maravilhas no género). Acontece que ainda na Baixa, já a caminho da Sé, fica uma das minhas lojas preferidas em Lisboa, que vende mesmo artesanato português: Chama-se Santos Oficios – Artesanato (o site não lhe faz justiça nem de longe) e está cheia de coisas bonitas e escolhidas a dedo, como este fato de careto transmontano.

E mais: a lebre de Agosto e o gatinho partem hoje para as suas novas casas. Sei que vão ficar muito bem instalados, mas vamos ter saudades deles.

filha de pano

boneca feita pela marta

Tive uma prenda de uma pessoa que não conheço. Uma prenda mais do que especial, tanto para a autora (porque a fez ela, ponto por ponto, e pelo que sentiu ao criá-la) como para mim, que a recebi com o espanto de quem vê brotar o feijãozinho que se deixou à janela numa cama de algodão. Muito, muito obrigada, querida Marta.

Que grande responsabilidade esta.

espelho mágico, amigo meu…

cartões de visita

Estou ultra-contente com os meus novos cartões de visita. As etiquetas chegaram hoje, muito mais depressa do que eu tinha pensado (a E. ainda não sabe dizer muitas palavras, mas já diz c’rrrrei quando a campainha toca a meio da manhã).

A Ana descobriu e partilhou comigo estes deliciosos sock dogs, tirados de um livro da Martha Stewart. Encontrou-os aqui. Eu já conhecia os da Maganda.org, mas nunca tinha encontrado o modelo para tentar fazer um (vai para a lista de projectos, logo a seguir ao clássico sock monkey). Obrigada, Ana!

E ainda: o saco da Bárbara e o post da Claire: cute.

i buy d.i.y.

Tenho o projecto de criar um site para reunir e divulgar trabalhos portugueses como os da Lixúria ou as minhas bonecas. Um site não demasiado arrojado nem demasiado simples, com uma lista de pessoas (sempre o problema das designações: designers? artesãos? artistas?), a descrição das suas criações (com algumas fotografias) e os contactos (onde e como comprar). Há poucas semanas vi uma rapariga a comprar materiais para umas sacas lindas feitas com plástico e estive quase para meter conversa com ela (mas Lisboa não é Nova Iorque, e aqui fico sempre com receio).

A actualização de ontem da Cut+Paste inclui a Renata e as suas bolsas de crochet únicas. Já só há uma à venda!

Está concluída a migração para o MT 3 (obrigada, Paulo!). Recuperei o link para o BlogTree, um projecto de traçar a genealogia dos weblogs que acho bastante interessante mas que ainda não pegou por cá. O pedigree deste está aqui.

curtas

encomendas

O meu livro novo de ideias para coisas lindas, vindo da Coreia através da Kitty’s Oriental Craft Shop.

O boneco #50 seguiu hoje para as Caraíbas (!) num envelope com muitos selos (sempre que envio um boneco para o estrangeiro recuso as etiquetas cor de rosa e fico cheia de esperança que os destinatários também gostem de selos).

Fico a saber que a mãe da Nela às vezes passa por aqui (olá mãe da Nela!).

A Renata avança com o seu saco de sacos (o meu está parado por falta de matéria-prima).

Neste momento só sobram dois bonecos no museu de Sintra, um na NoKidding e nenhum na Maria Caracoleta (e, por esquecimento da menina da loja, a pessoa que comprou o último que lá estava – #45 – não levou a embalagem). Amanhã acabo o #52 e começo o projecto velcro número 1.

sexta-feira fui à feira

lenço de namorados

Sempre fomos à Feira de Artesanato. Apesar de ter visto muitas coisas bonitas (entre elas este lenço de namorados) fiquei um bocadinho desiludida por não encontrar uma única boneca tradicional. Nem mesmo as matrafonas de Monsanto lá estavam. Trouxe uma saquinha de retalhos e um brinquedo de madeira para a E. e para mim meio metro de linho para um dia bordar alguma coisa.

Entretanto comecei um terceiro saco de sacos. E a Mimi e a borboleta já começaram os delas.