Viana do Castelo

viana

À procura de tecidos e outras coisas. Os lenços mais bonitos são os da montra desta loja. O dono explica-me que são só para exposição, porque já não se fazem. Também já não se fazem estas sacas bordadas: as últimas foram feitas por uma senhora velhinha que já não consegue bordar e não tem aprendizes (vontade de vir para Viana à procura da última bordadeira).

plastic bag

crochet de plástico

andava com vontade de o fazer (foi mais um projecto que não ficou para as férias). Encontrei a ideia no weblog Gotta Make… Something! e, depois disso, no Ikastikos. Entretanto, a Renata começou um e a Mimi vai fazer o mesmo em breve.

Como nunca tinha feito crochet, recorri ao meu precioso O Grande Livro dos dos Lavores, que em Português está esgotado e em Inglês se chama Complete Guide to Needlework. É um livro fantástico, com óptimas ilustrações e que ensina a fazer tudo e mais alguma coisa. Usei uma agulha de crochet n.º 10 e uns 40 ou 50 sacos de plástico de todo o género (incluindo embalagens das fraldas da E.). O único truque está em saber variar a largura das tiras de plástico consoante a espessura dos sacos (cerca de 3cm para os sacos de supermercado mais fininhos e metade para os sacos da fnac e outros do mesmo género). Já o testei com 4Kg de compras e aguentou-se com distinção.

oryctolagus cuniculus

A pesquisa de imagens do Google é uma ferramenta inestimável. Hoje usei-a para procurar coelhos por causa do que estou a fazer agora (um coelho-tá). Um dos links mais inesperados mas úteis com que deparei foi esta galeria de focinhos. Para referência futura, deixo aqui links para alguns dos coelhos que encontrei: o eternamente mais lindo de todos (que é uma lebre), de Dürer, Benjamin Bunny passeando pela mão de Beatrix Potter, o incontornável de Tenniel (abaixo as versões da Disney!), lindo coelho-fantoche na mão do criador de Jabba the Hutt, desenhos de crianças japonesas (o coelho é bom mas o elefante e o macaco são os meus preferidos).

Mas a descoberta do dia foi mesmo uma bonequeira japonesa que ainda não conhecia. O site chama-se Hippie Coco Diner, tem coelhos como eu gostava de vir a saber fazer e muitos outros bichos lindíssimos.

…you know, housewife stuff

Confuso, sobrecarregado e com cores berrantes, o Art for Housewives é um gigantesco log das descobertas de Cynthia Korzekwa respeitantes ao concept of Home and Daily Aesthetics. Às vezes tenho vontade de fazer algo semelhante (ou de me oferecer para colaborar com ela), tal é o volume crescente das minhas bookmarks do género.

Descobertas de hoje a reter com mais atenção: um saco feito de sacos de plástico que vou ter de fazer um dia destes (aqui está a explicação e aqui um mais bonito feito por esta menina); Free Form Crochet: fez-me logo pensar em recifes de coral.

lixúria

Perdi a conta às vezes que, em Nova Iorque, à pergunta o que é que fazes? me responderam o que é que faço ou o que é que faço para pagar as contas?.

Lá fora encontro todos os dias mais alguém que trabalha em qualquer coisa não muito emocionante durante o dia mas se define a si própria por aquilo que faz depois de chegar a casa ou que apostou as suas economias em construir em casa uma oficina de encadernação e mais um, outro e outro grupo de pessoas que se mexem para levar às pessoas os seus projectos nascidos mais da vontade de fazer do que de qualquer outra vontade. Por cá, quando encontro estas coisas especiais (não sei como lhes chamar… diy?) nalguma loja esquadrinho as etiquetas à procura do contacto, site, email e nunca encontro. Mas hoje nasceu a casa virtual de um projecto destes, a Lixúria.