tinta bi

elevador

Durante todo o passeio a E. não largou o seu novo potinho de tinta bi (verde) e mal chegou a casa pediu logo para fazer patua.

Tricot:

A Dina Piçarra, cujos lindíssimos trabalhos conheci na Feira Laica, vai ter novos tricots em exposição na Galeria Monumental*. Só lá vão estar entre hoje (a partir das 18h) e Sábado (até às 19h). Encomendas e elogios (sem esquecer os votos de um fim de gravidez saudável e descansado) devem ser enviados para dinapicarra arroba sapo ponto pt.

E mais:

Meninas aos riscos: coisas feitas pela Débora e pela Sílvia.

Milk magazine: encontrei finalmente um site através do qual se pode encomendar esta revista.

Read more →

abia a patua*

E. a pintar

Desconfio que nada (a não ser, talvez, a toupeirinha) faz a E. tão feliz como poder mexer em tintas. Quando subimos a rua juntas recita orgulhosa a cor de cada pichagem (e são muitas) e em casa sempre que ninguém repara vai remexer a gaveta dos acrílicos. Se com as canetas a brincadeira passa cada vez mais por representar alguma coisa (e pedir-nos tantas vezes quantas a nossa paciência permitir que desenhemos de seguida e por esta ordem um gato, um cão, um passarinho e uma minhoca), com o tinta o prazer está na mancha, nas texturas, na superfície, nas pingas (e no chão, na roupa, no cabelo, etc.).

*a Elvira está a fazer pinturas

salão lisboa

desenhar

Fomos finalmente ver a Ilustração Portuguesa 2004. A E. adorou o andar de cima, com a sala forrada a quadro da escola e as mesas com lápis e canetas para desenhar (grande ideia). Tive pena que a exposição de gravuras do José Guadalupe Posada fosse de provas actuais (ainda que não dissesse em lado nenhum) e não de impressões da época.

A maior surpresa foi este livro de pano da portuguesa Rosa Baptista.

Quando fomos à exposição do ano passado a E. ainda andava no baby bjõrn.

mariana

mariana

A E. começa a brincar às casinhas. O que pratica durante mais tempo é o deitar e acordar dos bonecos (que acordam sempre mal terminou a complicada tarefa de os tapar sem lhes cobrir a cabeça). Resolvi pedir-lhe ajuda para testar os meus novos cobertores/mudadores na boneca Mariana (é incrível como ainda há tão pouco tempo eram quase do mesmo tamanho).

Links:

Ciao! Cimba: mais um saco que tenho de tentar fazer qualquer dia.

Magda Wojtyra: não encontro nenhuma boa tradução para soft sculpture mas se percebesse mais de costura gostava de fazer objectos como este.

A month of softies: Mais um projecto, desta vez organizado pela trend setter Claire Robertson.

Anti-telemarketing counterscript: Para ter ao pé do telefone (via Meia de Leite).

zakka

sapatinhos

É verdade que a E. pouco ou nada usou a maior parte dos sapatos de bebé que lhe ofereceram. O primeiro Verão, em que ainda nem gatinhava, passou-o quase sempre descalça (o que me valeu muitos olhares e alguns ai coitadinha de velhotas desconhecidas). Depois veio o Inverno e as primeiras botas e desde que anda não tem mesmo outro remédio senão sair à rua calçada. Hoje não resisti a pôr em prática um modelo do livro que a Mitiko me ofereceu. Dele resultaram estes sapatinhos tão macios que tenho pena de não os ter tido quando a E. cabia neles (provavelmente vão parar à Baby Feira Mix).