steeks

hillhead slipover

hillhead slipover

Mais um post sobre o colete antes de o mostrar terminado (está mesmo quase), para se perceber melhor o processo das assustadoras tesouradas. Como já tinha dito, o corpo é tricotado sempre em círculo. Quando se chega aos ombros tem-se uma espécie de saco pouco fotogénico com três buraquinhos que são a base das cavas e da gola. Acima deles deitaram-se algumas malhas extra (as riscas verticais nas imagens) que permitem que a peça não se desmanche quando é cortada e que são aquilo que os livros da especialidade chamam steek. Read more →

fair isle (3)

fair isle

fair isle

Ainda posso deitar a perder todas estas horas de trabalho, mas até agora está a correr bem e a ser um trabalho viciante (o modelo chama-se Hilhead Slipover). Ao contrário do que acontece em geral nas camisolas e coletes, na técnica de Fair Isle a peça é tricotada circularmente do princípio ao fim, montando-se malhas extra na zona do decote e das cavas que depois são cortadas com a tesoura. Convém nao fazer asneira… A seguir sou capaz de tentar o padrão OXO deste livro. Read more →

fair isle (2)

fair isle knitting
Peterson, J., Knitting Fair Isle, 1939/1946.

fair isle knitting
Ramsay, R., 1926 (detalhe).

O meu colete ainda não está pronto e já ando a sonhar com uma camisola de fair isle com um padrão mais tradicional e um feitio semelhante às dos anos 1920. Foi nesta altura que o tricot de Fair Isle se tornou conhecido em toda a Grã-Bretanha, graças a uma camisola oferecida em 1922 pelas mulheres das ilhas Shetland à família real que foi repetidamente usada pelo então príncipe de Gales. Read more →

fair isle

hillhead slipover

Depois das primeiras experiências bem sucedidas a tricotar com dois fios, já há mais de um ano, e de ler dois livros sobre o assunto, eis que me estreio no fair isle escocês propriamente dito, mas feito à boa maneira portuguesa. O modelo é do livro The art of Fair Isle knitting e chama-se Hillhead slipover. A parte mais emocionante vai ser de certeza abrir as cavas e decote à tesourada como é hábito fazer na ilha que dá nome a esta técnica. Read more →